Nossas Noticias

Operação Iceberg: delegado diz que buscará reunião com o Ministério Público em Rio Negrinho

RIO NEGRINHO. A Operação Iceberg, também conhecida como o “Escândalo das Diárias” da Câmara de Rio Negrinho, deverá ter novos desdobramentos. A Operação é resultado de um trabalho da DEIC (Diretoria Estadual de Investigação Criminal) de Santa Catarina, cujas investigações começaram em 2015 e terminaram em 2018, com diversos políticos e servidores públicos indiciados por desvio de dinheiro público através da participação em falsos cursos, em diferentes cidades, principalmente em Curitiba ( PR ). Na lista dos indiciados no estado, constam vários nomes de Rio Negrinho, principalmente de alguns vereadores que ocuparam o cargo entre 2007 a 2012 e um que estava na função em 2016. Na região, a Operação foi executada também pela Polícia Civil, através da DIC ( Divisão de Investigação Criminal ) de São Bento do Sul. O órgão atende a região e os policiais também listaram políticos sãobentenses nas supostas irregularidades. Os resultados da operação, cujas investigações contaram com o depoimento de mais de 70 pessoas e tem mais de 2.500 páginas, foram repassados ao Ministério Público, que em agosto desde ano pediu que a Polícia Civil realizasse novas diligências. Essas são a identificação e inquirição de palestrantes que constavam nos folders dos cursos, para que relatem a dinâmica em que os fatos se deram quanto aos cursos  ministrados aos servidores, ex-servidores e ex-vereadores de Rio Negrinho e a juntada do termo de interrogatório do homem apontado como o proprietário das empresas que ministravam os cursos, para que ele fale sobre o relacionamento que tinha especificamente com três vereadores que ocuparam a presidência da Câmara entre 2009 e 2012 e com outros dois vereadores, sendo esses cinco apontados como os principais “clientes” da empresa. De acordo com a assessoria da 2ª Promotoria de Justiça de Rio Negrinho, após o recebimento deste material poderá haver ou uma denúncia  contra os investigados ou o arquivamento do processo. Para saber mais sobre o caso, nossa reportagem conversou com o delegado Gil Ribas, responsável pela DIC de São Bento do Sul. Ele explicou que todas as diligências foram cumpridas, com exceção daquelas que exigem comparecimento a cidades do Paraná. “Mas os pedidos para realização dessas diligências foram deprecados para a Polícia Civil do Paraná, para que eles cumpram as determinações do MP”. Ribas falou que as precatórias foram emitidas à Polícia Civil do Paraná em virtude da pandemia e também em função da falta de estrutura de pessoal da DIC para ações que exigem idas para outros estados. “Mas vou buscar uma reunião com o Ministério Público nos próximos dias”, adiantou.  Saiba mais sobre a Operação Iceberg OPERAÇÃO ICEBERGDiárias em Rio Negrinho: Polícia Civil quer que ex-vereadores e servidores devolvam mais de meio milhão para o erário público Operação Iceberg: “ouvi ex-vereador dizer que precisava do dinheiro da diária para pagar prestação do carro”, afirma Kempa Operação Iceberg – Ex-vereador Nelson Bogo se pronuncia OPERAÇÃO ICEBERG- Polícia diz que apenas um Ex-vereador percebeu e denunciou fraude OPERAÇÃO ICEBERG – Câmara de Vereadores de Rio Negrinho emite nota oficial OPERAÇÃO ICEBERG – EX-VEREADOR “PISKA” SE PRONUNCIA OPERAÇÃO ICEBERG – Ex-vereador ARTEMIO Correa se pronuncia sobre o caso OPERAÇÃO ICEBERG – Depoimento do agora prefeito Júlio Ronconi à Polícia Civil Escândalo das diárias em Rio Negrinho: como está o caso após o resultado das investigações da Polícia Civil? Delegado diz que declarações do vereador Piska em live são ridículas e difamatórias; ele também garantiu que providências legais serão tomadas Promoções  ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram