Nossas Noticias

Vereador Maneco diz que vai pedir no Ministério Público o corte dos programas de rádio da Câmara de Rio Negrinho

Na semana que passou o vereador Maneco Alves (DEM) adiantou que iria “mostrar para a comunidade a verdade do que está acontecendo na Câmara de Rio Negrinho”. E na palavra livre da sessão da noite de hoje (26) o parlamentar reclamou do que descreveu como retaliações internas no Legislativo.


“Está havendo retaliação com relação a alguns vereadores. O jurídico não quer nos atender, o assessor de imprensa está impedida de divulgar matérias nossas, nos programas de rádio está proibido de veicular as nossas falas… Se vocês escutarem, vão verificar. Fui questionado sobre isso por algumas pessoas semana passada e fico até meio triste em falar isso”.


Maneco adiantou ainda que vai entrar com uma ação no Ministério Público pedindo o corte dos programas da Câmara que são veiculados nas emissoras da cidade. À reportagem do Nossas Notícias ele explicou que irá recorrer a um advogado particular para fazer o procedimento.


“Em sete meses já foram gastos R$ 30 mil nesses programas. Entendo que se não for para divulgar todos os vereadores, não adianta ter essa programação. A gente precisa que todos os vereadores sejam tratados da mesma maneira, pois nós fomos os eleitos e não o assessor de imprensa, não o assessor jurídico, não o diretor da casa…”.


Maneco destacou também que acredita que o mínimo que alguns funcionários da Câmara tem que fazer é atender todos os vereadores quando esses solicitam alguma informação.


” Não são todos os colaboradores da Câmara que nos tratam de forma diferente, são os que comandam a Casa que estão deixando a desejar. As meninas que trabalham na Câmara sempre são prestativas, ao contrário por exemplo da assessoria jurídica da Câmara, para quem pedimos um parecer na semana passada e até hoje não recebemos”.


Durante sua fala Maneco também chegou a comentar que se “riscada essa página” e “todos forem atendidos da mesma forma”, ele ficaria “bem agradecido”. Na noite de hoje, após a sessão, nossa reportagem perguntou ao o vereador se ele pretende desistir de entrar com o pedido para o corte dos programas de rádio, caso o relacionamento entre a equipe da Câmara acabe melhorando depois de seu desabafo.


“Vou entrar com a ação, sim, no Ministério Público”, reafirmou.

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram