Nossas Noticias

Usuária questiona respeito ao limite de lotação em ônibus da linha São Bento do Sul/Rio Negrinho; Coletivos Rainha, responsável pelo serviço, explica sobre o controle de passageiros e como proceder em caso de denúncias

REGIÃO. Na manhã de hoje, uma seguidora entrou em contato com nossa reportagem para questionar o respeito ao limite de ocupação nos ônibus da Coletivos Rainha, que fazem as linhas São Bento do Sul -Rio Negrinho. Ela enviou a foto que ilustra essa matéria, denunciando um grande número de passageiros na linha das 17h30 desta terça-feira (27). “Gostaria de denunciar, pois estão transportando muito mais do que a capacidade permitida”, alegou. Nossa reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da empresa, que esclareceu que as medidas de prevenção estão sendo seguidas e destacou que denúncias em caso de superlotação, por exemplo, podem ser feitas também pelos usuários. Atualmente o decreto do governo do estado determina que os veículos que fazem o transporte coletivo devem ter ocupação de no máximo 50% da capacidade máxima. De acordo com a Coletivos Rainha, isso significa que seus veículos podem transportar até  41 pessoas, estando elas sentadas ou em pé. “Um fato recorrente é que, nos horários de maior fluxo, como no início da manhã e final da tarde, é possível ver passageiros em pé, dando a falsa impressão de lotação. Geralmente isso acontece devido à movimentação dos usuários pelas entradas e desembarques do ônibus”, considerou a empresa em nota. Porém, a Rainha frisou também que está monitorando a linha entre São Bento do Sul e Rio Negrinho, verificando se há demanda suficiente para colocar ônibus extras em horários de maior movimentação de passageiros. Quem faz o controle de passageiros?  Conforme a empresa, o controle do fluxo de passageiros, durante as paradas nos pontos de ônibus, é feito pelo motorista mas pode também ser fiscalizado pelos próprios passageiros com base nos cartazes informativos fixados em cada veículo. “Caso algum passageiro identifique que o número de pessoas está acima do informado nos cartazes de lotação, deve avisar o motorista, que pode desde interromper a viagem até acionar as autoridades. Os profissionais da Coletivos Rainha estão preparados para tomar atitudes que assegurem a utilização do transporte com segurança”, garantiu. A Rainha lembrou também que, para que o direito de locomoção permaneça sendo oferecido, é preciso que todos tenham responsabilidade pelo respeito às regras de prevenção, pelo bem coletivo e por sua própria segurança. “Além do distanciamento, permanece obrigatório o uso da máscara dentro dos ônibus também”. Promoções      

 
                                                                 ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram