Nossas Noticias

Filho busca ajuda da comunidade para reformar casa da mãe, que vive em local precário em Rio Negrinho

RIO NEGRINHO. Construir uma casa simples, mas digna para a mãe é o objetivo de Douglas Fernando Max Stachok. Ele está realizando uma vakinha virtual e mobilizando as redes sociais para angariar recursos financeiros e materiais de construção para colocar a proposta em prática. Ao Nossas Notícias ele explicou não ter condições de comprar os materiais de construção necessários para a reforma da casa humilde, bastante precária e com risco de desabamento em que sua mãe, Marlene Ross, de 60 anos, vive, na Travessa Pedro Belli, no bairro Campo Lençol. “Gostaria de pedir para quem possa nos ajudar a construir uma meia água para minha mãe. A casa dela está em condições precárias. É uma casa muito velha, de madeira, e eu não tenho condições de fazer uma casa nova para ela”, pede ele. O filho, que trabalha como garçom, afirma ganhar R$ 1.400,00 mensais, sendo que do dinheiro que recebe, metade do valor vai para o pagamento do aluguel da casa onde mora com a esposa e três filhos. “Somos uma família de baixa renda e por isso peço que quem puder ajudar, ajude”, diz. Ele conta que o terreno onde sua mãe mora, é dele e que já pensou em construir uma casa na frente e reformar a da sua mãe, que fica nos fundos, porém a atual situação financeira impede o investimento. Quanto as doações que Douglas pede, podem ser de tijolos, madeiras e mais materiais de construção que estejam sobrando. “Minha mãe só quer um cantinho dela, para criar os seus os animais. Algumas pessoas já estão ajudando com telhas usadas e mão de obra. Quero conseguir o que for para ela viver mais tranquila, sem riscos, mas não tenho condições de comprar”, desabafa. Busca de apoio do poder público Douglas explicou que já procurou auxílio do poder público, mas que algumas situações inviabilizam que ele e a mãe sejam inscritos em programas habitacionais. “Já fui na Secretaria de Habitação, mas como o terreno está em meu nome, não consigo participar de programas da prefeitura”, detalha. “Minha mãe recebe bolsa família, não tem renda, e também não pode se encaixar nos programas da habitação”, frisa ainda o filho que diz ter procurado também a secretaria de Infraestrutura, mas onde teria sido informado que precisaria de um laudo da Defesa Civil para poder ser contemplado com materiais de construção. O que diz a prefeitura Procurada, a prefeitura informou através da Assessoria de Comunicação que a legislação que permite fornecer materiais de construção, foi sancionada ainda em 2016, mas não está homologada. Ainda segundo a assessoria, a Secretaria de Habitação e Promoção Social já trabalha visando a atualização da lei. Vakinha virtual O filho conta que com a ajuda da esposa, teve a ideia de buscar recursos através de uma vakinha virtual, não apenas para pedir dinheiro, mas também para pedir material ou qualquer outro material que alguém que tivesse e pudesse doar. “Também estamos divulgando no Facebook e nos grupos de whatsapp”, diz. “A vakinha é para a construção da casa e para poder dar uma vida com mais dignidade e um pouco de conforto para minha mãe”, reafirma. “Estamos aceitando qualquer tipo de doação tanto de material como em dinheiro, pois a minha mãe é idosa e não tem renda”, completa Douglas. “Existe já um pedreiro e um carpinteiro que disseram que se tivermos o material eles fazem a casa”, adianta. Para ajudar você pode clicar direto aqui ou ainda falar com Douglas pelo (47) 99224-7141 ( clique aqui para falar diretamente com ele pelo whatsapp).   Promoções  

                                                 ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram