Nossas Noticias

Dido quer que prefeitura de Rio Negrinho ceda imóvel usado como estacionamento ao lado dos bancos para a Fundação Hospitalar

RIO NEGRINHO. O vereador Rodrigo dos Santos, o Dido (PL), apresentou requerimento direcionado a prefeitura no qual requer que seja estudada a possibilidade de que os três terrenos usados como estacionamento ao lado dos bancos sejam cedidos a Fundação Hospitalar Rio Negrinho com a intenção de explorar o imóvel. Os três imóveis estão situados entre a Travessa Theodoro Junctum e ruas Pedro Simões de Oliveira e Carlos Weber, no Centro e o vereador propõe a concessão de uso a título gratuito e por um prazo de cinco anos, período sugerido como necessário para que a entidade de saúde consiga explorar o espaço por meio de um estacionamento local pago. Dido, através do requerimento, sugere que tal ato poderia contribuir com as novas despesas que a Fundação Hospitalar passa a ter com a recente instalação da UTI Covid e seu consequente valor alto de manutenção. O documento aponta que a cobrança de um estacionamento poderia contribuir com as despesas caso a UTI seja mantida no município após a pandemia. O parlamentar adiantou que a proposta para implementação de um estacionamento pago na área já está em discussões bastante avançadas, tanto por parte do hospital que aceitou a proposta, como da prefeitura que fará a parte que cabe a eles. Dido destacou ainda que deverá conseguir de forma gratuita a instalação de cancelas no estacionamento. “É uma boa causa, as pessoas se unem, fazem as doações com o coração”, opinou. Já o presidente do legislativo, Arlindo André da Cruz, o Piska (PP), que participou da visita do governador agora afastado, Carlos Moisés da Silva (PSL) a Rio Negrinho na última semana, disse que durante a passagem dele pelo município, foi reforçado o pedido para que a UTI Covid fique em Rio Negrinho após a pandemia para atender outras especialidades. “Mas para isso é preciso gerar renda para hospital se manter”, lembrou. Fiscalização da obra da rua Luiz Scholtz Filho Dido também apresentou requerimento direcionado ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) visando que a entidade apure, se há responsabilidade ou não, do engenheiro fiscal que executou a obra na rua Luiz Scholtz Filho, no bairro Vila Nova, onde um trecho do asfalto cedeu após as intensas chuvas de janeiro desse ano. O vereador aponta ainda que enviará junto com o requerimento, a resposta da empresa Fator 3 Engenharia e Consultoria Ltda, responsável pelas obras no local. “Continuamos buscando as informações para saber o que aconteceu naquela obra. É um investimento de quase de R$ 1,5 milhão que a comunidade esperou por tanto tempo e agora o povo está correndo risco”, apontou. O vereador ainda comentou sobre a resposta enviada pela empresa responsável e onde a mesma se isenta da culpa. “Temos que identificar o culpado, se existe culpado ou se foi uma movimentação de terra no local. Que o CREA mande alguém técnico para fazer uma inspeção no local”, comentou ainda o parlamentar. Também durante a sessão, foi lido uma resposta enviada pela prefeitura atendendo um requerimento apresentado no início de fevereiro pelos vereadores, o qual pedia um estudo com levantamento do custo imobiliário visando a indenização para as famílias atingidas do local. Segundo a resposta, para tanto será necessário a juntada da matrícula atualizada e projeto das edificações dos imóveis atingidos para o encaminhamento para a Comissão Municipal Permanente de Bens Imóveis do município. Promoções

                               ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram