Nossas Noticias

Você já percebeu? 70 mulheres são homenageadas com seus nomes em ruas, praças e escolas de Rio Negrinho

RIO NEGRINHO – No Mês da Mulher, o Nossas Notícias apresenta o resultado de um levantamento feito a respeito das mulheres rio-negrinhenses que foram homenageadas tendo  seus nomes para espaços públicos como escolas, ruas e praças, distribuídos em todos os bairros da cidade e também no interior. Ao todo são mais de 70 locais e provavelmente você já se deparou com alguma rua com nome de alguma mulher ou quem sabe seu filho, ou sua filha estude em alguma escola que leva o nome de alguma representante do sexo feminino. Talvez você ainda tenha passeado em alguma praça que leva o nome de alguma delas. Para se ter uma ideia, elas dão nome para 64 ruas e estradas no município, de um total de mais de 850 vias na zona urbana e rural, além de serem homenageadas com a denominação de duas praças e cinco escolas, sendo quatro da rede municipal e uma estadual. No bairro Cruzeiro A Escola Marta Tavares, no bairro Cruzeiro, unidade de ensino mais antiga da cidade é um dos maiores exemplos. Nascida, em São Bento do Sul, em 24 de dezembro de 1888, a professora Marta Marieta Tavares Alves dá seu nome para a unidade de ensino a partir dos anos 1930. Profundamente religiosa, nunca teve filhos e se dedicava à educação e instrução da infância, que amava de todo o seu coração. Sua contribuição na educação foi reconhecida de tal modo que ex-alunos seus de São Bento do Sul, que se transferiram para Rio Negrinho, pediram ao então Governador do Estado, Nereu Ramos, para que o grupo escolar do bairro Cruzeiro tivesse seu nome, pedido que acabou sendo atendido em 1933. Outra escola que leva o nome de uma professora é a Aurora Siqueira Jablonski, no bairro Bela Vista. Nascida em Guarapuava, no Paraná, em 1916, ela veio para Rio Negrinho, em 1950 e trabalhou no Grupo Escolar Marta Tavares até 1960. Foi uma professora muito querida por todos, e muito exemplar e de muita responsabilidade. Faleceu ainda em 1960, com 44 anos, ano em que completaria 25 anos de carreira profissional. Outras professoras homenageadas Devido aos seus longos anos de exemplar atuação junto à educação no município, a professora Selma Teixeira Graboski também empresta seu nome para uma escola, neste caso, a maior da rede municipal em quantidade de alunos, no bairro São Rafael e que em 2021 completa 44 anos de atuação. Lucinda Maros Pscheidt denomina a escola de ensino fundamental fundada em 1978 no bairro Vista Alegre. Já em 2002, o bairro Campo Lençol recebe sua primeira escola que presta homenagem a professora Irene Olinda Teifke Ribeiro. A menção faz homenagem a sua dedicação à educação de Rio Negrinho, onde atuou durante todo o período que exerceu o magistério. Nomes de ruas e praças Trecho da antiga Estrada Dona Francisca, o qual corta alguns bairros de Rio Negrinho, também mantém seu nome original, como acontece no Quitandinha, onde a princesa filha do Imperador D. Pedro I e da imperatriz Leopoldina, empresta seu nome para a principal rua do bairro. Também o principal acesso ao bairro Industrial Norte leva um nome feminino: a Avenida Julieta Simões de Oliveira. No Vila Nova, Paulina Pilati empresta seu nome para uma das principais ruas do bairro. Ela, juntamente com o marido Romédio Pilati, foram os responsáveis pela doação do terreno que abriga a igreja Nossa Senhora Aparecida, no mesmo bairro. Outro espaço público recentemente denominado com um nome feminino foi a praça do bairro São Pedro que desde o início do ano se chama “Alice Anton Schroeder”. (Com informações extraídas no blog Rio Negrinho no Passado, de Osmair Bail). Promoções  

 
                                 ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram