Nossas Noticias

Por 5 votos favoráveis, vereadores aprovam a volta do pagamento de diárias na Câmara de Rio Negrinho

RIO NEGRINHO. Com cinco votos favoráveis e três contrários, os vereadores aprovaram durante a sessão ordinária desta segunda-feira a volta da regulamentação para a concessão de diárias para servidores e parlamentares. O benefício havia sido revogado em agosto do ano passado. Votaram a favor do projeto os vereadores Cássio Alves (PSD), Nilson Sebastião Barbosa (PSDB), Alessandra Cristofolini (PSL), Flávia Vicente (MDB) e Rodrigo dos Santos, o Dido (PL). Ineir Miguel Mittmann, o Kbelo (PSC), Manoel Alves Neto, o Maneco (DEM) e Roseli Zipperer do Amaral (PSDB) foram contrários a matéria. Kbelo ainda apresentou uma emenda a redação original do projeto buscando que as diárias fossem regulamentadas somente os servidores do legislativo. O parlamentar também havia sugerido, na mesma emenda, a redução dos valores de pernoite a serem pagos para os servidores. Contudo, a proposição acabou rejeitada por cinco votos dos vereadores Dido, Cassio, Alessandra, Flavia e Nilson, prevalecendo assim o texto que inclui os vereadores como beneficiados com as diárias. Mittmann, que no ano passado foi quem encabeçou o projeto para revogação das diárias, tanto de servidores e vereadores, justificou seu voto contrário a concessão de diárias para vereadores alegando que o salário que os mesmos recebem enquanto parlamentares deve ser utilizado para o pagamento de suas despesas, incluindo os deslocamentos para fora do município, quando estes se fizerem necessários. Ele também defendeu que os deputados, cujos salários são muito superiores aos dos vereadores, é que precisam se deslocar até os municípios e não os vereadores até eles. Ainda durante a discussão do substitutivo, Roseli Zipperer do Amaral, também defendeu a ideia de que os vereadores necessitam trabalhar com seus salários. “Nós vereadores não precisamos ter diárias. Diárias sim para os funcionários e não para os vereadores”, completou a parlamentar. O presidente do legislativo, Arlindo André da Cruz, o Piska, questionou o posicionamento de Kbelo que no ano passado teve a oportunidade e não apresentou legislação que atendesse a demanda dos servidores do legislativo. “Não respeitaram os funcionários desta casa”, criticou Piska que classificou como politicagem o ato promovido em 2020. “Não vai existir cursos para vereador”, emendou ainda o presidente. Já Nilson Sebastião Barbosa, o Nilson da Picoli, se declarou ou favorável ao projeto, mas criticou os comentários que teriam sido feitos pelo colega Kbelo de que haveria o retorno da “farra das diárias”, inclusive citando seu nome. “Sou favorável as diárias, mas não preciso. Estou pensando em quem vai precisar, mas sou empresário e não preciso. Diária não é pra passear é pra buscar recursos para a cidade”, disse. Rodrigo dos Santos, o Dido, comentou sobre a postagem feita por Kbelo nas redes sociais no último final de semana e também sobre um vídeo compartilhado pelo parlamentar. Se disse sempre contrário as diárias, e que a proposta apresentada inclusive prevê a diminuição do valor das diárias que eram praticadas no passado. “Eu vou votar a favor, mas não vou pegar”, disse sobre seu voto ao projeto. “Os dados vão estar no Portal da Transparência”, lembrou ainda. Alessandra Cristofolini, defendeu que as diárias são legais e morais, mas que é preciso responsabilidade com o dinheiro público. “Qualquer empresa, seja privada ou publica, precisa investir em seus funcionários e assim terá um retorno muito maior. As pessoas colocam coisas nas redes sociais, sem ter conhecimento de causa”, apontou. “Quem quer usa, quem não quer não usa. Farra das diárias comigo não. Não aceito postagens assim envolvendo meu nome”, completou. A vereadora, assim como o vereador Piska afirmaram que o projeto não prevê a concessão de diárias para realização de cursos, contudo, já em seu primeiro parágrafo o texto do projeto diz que haverá concessão de diárias para servidores e vereadores “a serviço ou para participar de seminários, congressos e cursos de especialização, para outro ponto do País ou fora dele, fará jus a diárias antecipadas, para cobrir as despesas de pousada e alimentação”. Flavia Vicente concordou que se trata de uma matéria polêmica que enquanto parlamentar desta legislatura não pode responder por atos de vereadores de legislaturas passadas. “Nós não estamos aqui para brincadeira e não existe essa necessidade para mim hoje”, falou referindo-se ao uso de diárias. Promoções ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram