Nossas Noticias

Taxa de esgoto em Rio Negrinho: diretor do SAMAE diz que prepara material completo para apresentar aos vereadores

RIO NEGRINHO. O aumento na cobrança da taxa de esgoto sanitário para 80% do valor do consumo de água em vigor desde janeiro, foi um dos assuntos que movimentou a sessão da Câmara de Vereadores, na noite da segunda-feira (1°). Na oportunidade, foi apresentado um requerimento proposto pelo presidente da casa, Arlindo André da Cruz, o Piska, e assinado pelos demais parlamentares, pedindo a revisão da cobrança da taxa de esgotamento sanitário paga pelo contribuinte rio-negrinhense. Com base no documento, o Serviço Autônomo Municipal de Saneamento (Samae), projeta apresentar os dados solicitados aos vereadores nos próximos dias. Ao Nossas Notícias o diretor presidente da autarquia, Valdir Caetano Júnior, destacou que o assunto é bastante complexo e com muitos detalhes a serem apresentados. “Neste primeiro momento, vamos preparar um material com todas as informações técnicas, financeiras e jurídicas”, frisou. “Acredito que desta forma vamos informar a todos da melhor forma”, emendou. Caetano disse aguardar também um posicionamento da Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (ARIS) para compor o material a ser apresentado aos parlamentares com todas as informações necessárias. Em tempo O pedido para a redução da cobrança da taxa de esgoto, em especial que tome como base a proporcionalidade do consumo de água já foi debatido em anos anteriores e ganhou força com a implantação efetiva da cobrança da tarifa em 2019. A cobrança, fixada inicialmente em 60% do valor do consumo de água a partir do dia 1º de junho de 2019, passou para 70% a partir do dia 1º de janeiro de 2020 e 80% do valor desde 1º de janeiro de 2021. O documento votado pelo legislativo pede que o Samae realize uma nova análise para revisão dos índices previstos para serem adotados na cobrança da taxa de esgoto como forma de apontar a viabilidade para que a cobrança da taxa de esgotamento sanitário (atualmente em 80% da fatura da água) seja proporcional ao consumo real de água e não com base no consumo mínimo de 10 mil litros mensais. A tarifa mínima de água para quem consome até 10 metros cúbicos em sua residência é de R$ 31,54. O acréscimo é gradativo, sendo calculado por metro cúbico para quem consome mais do que essa faixa. Promoções ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram