Nossas Noticias

Preocupados com excesso de velocidade, moradores pedem redutores nas ruas Luiz Graff e Barão do Rio Branco, em Rio Negrinho; confira o que diz a prefeitura

RIO NEGRINHO . Entre os anos de 2019 e 2020, a tão sonhada pavimentação asfáltica das ruas Barão do Rio Branco e Luiz Graff, no bairro Vila Nova, saiu do papel e trouxe perspectivas de expansão para a comunidade, mas com o progresso do asfalto também veio a preocupação com os acidentes, principalmente os que possam a vir acontecer com crianças e idosos e que equivalem a grande parcela da população do bairro. Residentes há cerca de sete anos na rua Barão do Rio Branco, Valdemiro e Esli Fipke se deparam diariamente com o perigo que a alta velocidade dos motoristas, unida a falta de redutores trouxe para aquele trecho do bairro. “Há poucos dias aconteceu um acidente com um carro, uma caminhonete e uma moto onde por pouco algum dos veículos não entrou em alguma casa”, apontou Esli referindo-se a uma ocorrência registrada pela polícia e bombeiros no cruzamento da Luiz Graff com a Barão do Rio Branco. Os moradores contam que depois da pavimentação já puderam presenciar outras situações onde tragédias foram evitadas por milagre. “Os motoristas não respeitam as faixas pintadas no chão e outro dia um deles quase atropelou uma senhora”, lembra Valdemiro. “Quem mora aqui se sente desrespeitado, os motoristas não respeitam os limites de velocidade e não se conscientizam que estamos em um bairro que é muito populoso e que tem grande trânsito de pedestres”, cita ainda a moradora. Segundo ela a falta de conscientização não está condicionada aos veículos de passeio. “Ônibus do transporte coletivo e de empresas também passam correndo”, alerta. O casal sugere a instalação de ao menos três redutores, sejam eles lombadas ou faixas elevadas para a travessia de pedestres em pontos estratégicos das vias. “Poderiam instalar aqui mesmo na frente do meu estabelecimento que não me importaria, pois prefiro a sensação de segurança”, conta ela. Preocupação com o retorno das aulas O retorno das aulas, ao menos da rede estadual na segunda quinzena de fevereiro, é outra preocupação do casal visto que o bairro comporta três unidades de ensino bastante próximas – Escola Jorge Zipperer (estadual) e Menino Jesus e Arnaldo Almeida de Oliveira (municipais). “Sem contar ainda a proximidade do campo do Vila Nova”, apontam referindo-se a escolinha de futebol que também está situada na Barão do Rio Branco. Sem previsão de novas lombadas A Prefeitura, através de sua assessoria de imprensa, informou na tarde desta terça-feira (02), que o setor responsável – Detranrine, já está ciente da necessidade de instalação de redutores na rua Luiz Graff – a via inclusive já possui a sinalização indicando os redutores. Ainda segundo nota da prefeitura, o município no momento não possui asfalto para a instalação das lombadas, visto que a intenção não é mais adotar as lombadas confeccionadas em concreto. Na sessão da Câmara de Vereadores, na segunda-feira (1°), o vereador Cássio Alves, que mora no bairro Vila Nova, também levantou o tema e disse já ter cobrado um posicionamento do poder público através do secretário de Infraestrutura, Eloy Schoeffel, o Kempa. [caption id="attachment_40368" align="alignnone" width="300"] Valdemiro e Esli Fipke conversaram com Edson Frankowiak, repórter do Nossas Notícias nesta terça-feira (2)[/caption] Promoções ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram