Nossas Noticias

Rio-negrinhenses fazem bonito em campanha de doação de sangue

RIO NEGRINHO. Cerca de 50 pessoas saíram de sua zona de conforto hoje para se dedicar a uma boa causa. E outras cerca de 100 também se disponibilizaram a fazer o mesmo depois que viram nas redes sociais um chamado (literalmente), solicitando doadores de sangue voluntários para fazer uma reposição do material ao HEMOSC de Joinville (SC) em nome de uma criança da cidade que vem lutando contra o câncer e encontra-se com a saúde debilitada no momento. De acordo com a mãe, a menina recentemente precisou fazer uma transfusão de sangue no Hemosc. E foi no hospital da Unimed em Joinville, onde a menina faz tratamento, que a sugestão de uma enfermeira tocou o coração da família, inspirando a campanha para a reposição de sangue no Hemosc em nome da criança. “Não foi feito nenhum pedido para que a reposição fosse feita. Ela disse que se nosso coração fosse tocado, poderíamos essa reposição. A enfermeira comentou que de cada 5 voluntários, no máximo dois conseguem fazer a doação, porque os critérios são bem rigorosos para doadores. Nós então decidimos fazer a reposição porque sabemos que nossa filha pode precisar de novo de uma transfusão de sangue e é uma coisa que ajuda muita gente, pois pode salvar vidas, seja de quem precise de sangue, medula ou outro”, destacou. E foi em uma conversa com amigas que surgiu a ideia de uma campanha, articulada nas redes sociais. “A repercussão foi muito grande. Nossa filha, nossa família inteira, está extremamente grata a todos os que se disponibilizaram para essa ação. A gente não esperava que a campanha ia ter essa proporção. Tanto que hoje foram 41 pessoas fazer a doação em Joinville, em ônibus cedido pela prefeitura. Outros foram de carro. Para se ter uma ideia, outras 100 pessoas, inclusive de outras cidades, também se disponibilizaram a doar sangue. Por isso já está marcada uma segunda ‘missão’, no dia 4 de dezembro, aberta para essas da lista de espera que se formou agora e para outros interessados também”. A mãe relatou ainda que essas cerca de 100 pessoas da lista de espera só não foram fazer a doação porque para isso é necessário um pré-agendamento no HEMOSC. “Como não era esperada toda essa adesão, acabamos agendando para 45 pessoas hoje, sendo que 37 foram aptas a doar. Queremos aproveitar para agradecer também à DBR Turismo, que disponibilizou gratuitamente um ônibus para que pudéssemos levar mais pessoas para fazer suas doações. Estamos muito emocionados”. Ela contou ainda que muitas das 37 pessoas que fizeram a doação de sangue hoje também se cadastraram para serem doadoras de medula. “Isso foi muito importante, pois a partir de agora estarão no cadastro internacional, podendo ajudar outros adultos e crianças”. Depoimentos, emoção e solidariedade Isabela Padilha “Bom, eu conheço a menina para quem foi feita a reposição de sangue já há algum tempo. Tenho um carinho enorme por ela, sei da sua caminhada e da luta que vem enfrentando com todas as suas forças. Tenho certeza, mais que nunca, que é uma luta enorme e por isso admiro muito essa guerreira. Sobre a experiência de hoje foi muito legal, teve aquela tensão por ter sido a primeira vez mas foi bem tranquilo. Eu, como estou na área da Saúde, sei da importância da doação de sangue. São 450 ml de vida que doamos e que podem ajudar várias pessoas. Ou seja, você doa um pouquinho da sua vida para muitos. Isso me enche de alegria, pois sei que o sangue que doamos é um bálsamo para a alma de quem recebe. E, afinal, ajudar nunca é demais”. Sônia Ribeiro Heckler “Acredito que com essa ação podemos inspirar outras pessoas. Pode-se dizer conseguimos em prol dessa menina, praticar uma boa ação. Doar sangue não dói. Dói saber que muitos precisam e não conseguem. Nós é que agradecemos a oportunidade de salvar vidas. Desejo que venham outros: Carlos, Luanas, Julianas, Dalilas, Marcios … (doadores). Agradeço à Joelma, por organizar tudo e nos conduzir. Para a menina para a qual fizemos a reposição, posso dizer que é uma guerreira. Desejo saúde , muitas felicidades à ela e que Deus abençoe essa corrente do bem”. Carlos Alberto Martins “Eu sou doador há 16 anos. O homem pode fazer até quatro doações em 12 meses, com intervalo de dois meses em cada uma. A viagem foi muito boa e tranquila. O atendimento no Hemosc foi muito bom, como sempre. Eu estava me organizando para fazer a doação com a Fundação Cidadania, de São Bento do Sul, mas quando vi a postagem da campanha no Facebook e vi que era em prol de uma criança, não deixei para depois. Espero que ela se recupere com a saúde dela, que é o nosso maior patrimônio. Fiquei muito feliz com o número surpreendente de pessoas que foram fazer a doação, porque nas vezes que fui doar em grupo, sempre foram grupos pequenos. Com essa ação hoje até surgiu a ideia de fazer um cadastro municipal de doadores, para incentivar mais pessoas da cidade a doar sangue e salvar vidas”. Orientações para quem quer doar sangue   Promoções ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram