Nossas Noticias

"Igualdade entre homens e mulheres é assunto para ser tratado desde a infância", destaca presidente da Comissão da Mulher da Subseção da OAB de São Bento do Sul

SÃO BENTO DO SUL. Igualdade de gênero e violência contra a mulher são assuntos que se tornaram cada vez mais discutidos nos meios de comunicação, universidades, escolas, cursos e outros. Se formos considerar, historicamente, talvez nunca antes tenha se falado tão abertamente sobre essas temáticas e também nunca até então tenha-se percebido de forma tão direta a real dimensão dessas questões. E foi no sentido de contribuir com a discussão que a Polícia Civil de São Bento do Sul, em parceria com o curso de Direito da Univille, também de São Bento do Sul, promoveu o evento online denominado “A Lei Maria da Penha e a Pandemia”, que contou com a participação várias autoridades do assunto na região (confira a relação de palestrantes e o link para acompanhar o evento completo no final da matéria). A ação, que foi acompanhada ao vivo por um excelente público, contou com a fala da advogada Sheila Buscoski Varella, presidente da Comissão da Mulher da subsecção da OAB de São Bento do Sul. Ela destacou que a discussão sobre a igualdade de gênero e a prevenção à violência doméstica, amplamente discutidas entre os adultos, precisa ser tratada também com as crianças, através de uma educação que leve meninos e meninas à consciência sobre igualdade e direitos. “Os conceitos que levam à violência contra a mulher começam na infância, quando se rotula o que é de menina e o que é de menino. Quando se dá ênfase às tarefas domésticas, que devem ser realizadas pelas meninas e aos meninos, brincadeiras de luta, soldadinho, violência,…muitas vezes se esquecendo de ensinar aos meninos o que é ser um pai de verdade”. A advogada também enfatizou que em paralelo às ferramentas de denúncia, é preciso reforçar cada vez mais a rede de apoio às mulheres que denunciam seus agressores e principalmente, empoderar as mulheres. “Empoderar as mulheres tem sido um dos objetivos do trabalho da Comissão. Porque uma mulher empoderada e apoiada tem força de romper com um ciclo de violência”. Para isso, ela frisou que a Comissão tem realizado vários eventos e ações com o intuito de fortalecer a conscientização das mulheres da região, em especial. “A Comissão da Mulher Advogada centraliza suas ações na proteção das mulheres em geral, ampliando o debate sobre temas importantes para o seu público e auxiliando nas ações de atendimento à mulheres em situação de vulnerabilidade”. Ela ainda destacou que há muito o que se conquistar no quesito igualdade de direitos, pois a violência doméstica, um dos principais fatores que interfere nessa igualdade, é fruto do machismo, um posicionamento praticado por homens e mulheres, independente de classe social ou nível de escolaridade. Sheila finalizou anunciando que a Comissão tem dois canais nas redes sociais, que são uma página no Facebook ( acesse clicando aqui ) e um perfil no Instagram (acesse clicando aqui ). Assista o evento completo clicando aqui. Os demais palestrantes do evento foram: 

  • Delegado Regional de São Bento do Sul, Odair Rogério Sobreira Xavier ;
  • Psicóloga Suelen Bianca Araújo, da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI) de São Bento do Sul ;
  • Juíza Fabrícia Alcântara Mondin; de Rio Negrinho
  • Promotor de Justiça Djônata Winter, da 2ª Promotoria de Justiça de São Bento do Sul;
  • Coronel PM João Carlos Benassi Borges Kuze ;
  • Advogada Débora Cristina Peyerl, coordenadora do curso de Direito da Univille, Campus de São Bento do Sul;
  •  Cleide Regina Pereira, do Serviço Social da Prefeitura de São Bento do Sul
Confira as outras reportagens sobre o evento clicando aqui. Promoções ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram