Nossas Noticias

Após 30 anos de atuação como bombeiro, Sargento Liebl, de Rio Negrinho, entra para a Reserva Remunerada

RIO NEGRINHO. Ele é natural de Rio Negrinho, onde trabalhou durante 30 anos como bombeiro. Ama a cidade e a profissão. Tanto que para realizar o sonho de seguir na carreira, voltou aos estudos que havia abandonado aos 17 anos, quando começou a trabalhar. E nesta semana, depois de anos de atuação,  Claudinei José Liebl, o 3° Sargento LIEBL, do Corpo de Bombeiro Militar de Rio Negrinho, aos 48 anos entrou para a reserva remunerada ( aposentadoria ). Claudinei é  casado com Adriana Aparecida Hittel Liebl. Os dois são pais de Lucas Ricardo Liebl Ele concedeu uma entrevista especial ao Nossas Notícias, contando experiências inesquecíveis da carreira, sua história na profissão e os planos que pretende seguir daqui para frente. Confira e inspire-se! Nossas Notícias – Por que você decidiu ser Bombeiro? Sargento Liebl – As pessoas são diferentes, acredito que é intrínseco, cada pessoa reage de forma diferente em emergências. Algumas correm contra,  algumas ficam paralisadas sem atitude e outras correm para ajudar. Servi o Exército Brasileiro (1991) como voluntário e me familiarizei com a vida militar, apesar de  nem  todos se adaptarem a esta vida devido a hierarquia e a disciplina que são a base da instituição. Mas a  vontade de ser bombeiro veio alguns anos depois que deixei o Exército. Descobri  que existia um pelotão do Corpo de Bombeiros em Rio Negrinho e então fui pesquisar quais os requisitos eram necessários para poder ingressar na instituição. Um deles era ter o segundo grau completo, grau de estudo que eu não possuía, pois abandonei os estudos aos 17 anos para trabalhar.  

Continua depois do anúncio
Nossas Notícias – E como foi depois disso? Sargento Liebl – Então, eu voltei a estudar,  mesmo trabalhando durante o dia pois estava decidido que iria ser Bombeiro. Após concluir os estudos só esperei a oportunidade de abertura de concurso. Até que em 1995 foi aberto o edital para Soldado do Corpo de Bombeiros. Então fiz minha inscrição, fiz as provas em Joinville ( SC) e como passei em todas as etapas fui fazer a escola de bombeiro em Itajaí ( SC ). Nossas Notícias – E quando você começou efetivamente a sua carreira? Sargento Liebl – Após sete meses de curso, então formado, fui transferido para  Joinville (SC). Lá  fiz mais um curso, o EABA (Estágio de Adaptação para Bombeiros de Aeroporto),  exigência essa da Infraero e Ministério da Aeronáutica. Neste estágio, aprendi a operar as viaturas próprias de atendimento em emergências em aeroportos, um pouco diferente das que operam dentro da cidade. Tive também a oportunidade de conhecer as técnicas de combate a incêndio e socorros envolvendo aeronaves. Fiquei  em Joinville por nove meses mas meu objetivo era voltar para casa, trabalhar em Rio Negrinho.  
Continua depois do anúncio
Nossas Notícias – E quando isso foi possível?  Sargento Liebl – Então, depois desse período apareceu a oportunidade de trocar de cidade com outro soldado que estava em Blumenau então acabei indo para lá. Uma cidade grande, de ocorrências diversas, onde aprendi o que era ser bombeiro. Fiquei alguns meses em Blumenau e por ironia do destino apareceu a chance de trabalhar em Rio Negrinho, pois outro soldado que trabalhava lá queria mudar para Blumenau (1996). A partir deste ano até agora, em 2020, completei meus 24 anos e meio de serviço em minha terra natal. Os outros 5 anos trabalhei em Joinville e Blumenau. Nossas Notícias – Conte para nós: quais as três  ocorrências que vão te marcar pelo resto da vida? Sargento Liebl – Nesses anos muitas são as ocorrências que ficarão marcadas em minha memória. Posso dizer que ao percorrer as ruas da cidade em quase todas tenho histórias para contar. Mas as grandes tragédias com perdas de vidas são as que mais nos marcam. Uma delas foi o incêndio em uma residência em que 3 pessoas da família perderam a vida. Ocorrências como essa marcam pela tragédia em si e principalmente pela sensação de impotência diante de uma tragédia imensurável como esta.Outra que não esquecerei foi um acidente de trânsito em que o condutor do veículo foi acessar a BR e acabou cortando a frente de uma carreta; essa arrastou o veículo por vários metros até parar. Dentro do veículo tinha uma família de cinco pessoas, onde a única sobrevivente foi um bebê. Mas nem só de tragédias ficamos marcados. Uma ocorrência que me marcou também foi quando atendi uma gestante em eminente trabalho de parto. Acabei realizando o parto  dentro da viatura minutos antes de chegar no hospital. Foi uma sensação de alegria por acolher uma nova vida, uma linda bebê saudável.
Continua depois do anúncio
Nossas Notícias – O que a profissão te proporcionou num todo, como pessoa? Sargento Liebl –Crescimento! Aprendi que a vida é uma caixa de surpresas, que estamos aqui e que num piscar de olhos podemos não estar mais. Aprendi a valorizar as pequenas coisas da vida, que fazer o bem nos traz uma paz de espirito maravilhosa e que não precisamos só ser bombeiros para fazer isso, assim como vemosmuitas pessoas fazerem e algumas não entenderem ..só quem faz sente. Aprendi que não podemos ficar parados, que se desejamos algo temos que nos esforçar. Ser bombeiro também me proporcionou uma vida digna para poder sustentar minha família, criar meu filho, e principalmentepoder dar a ele uma graduação (está cursando Direito). Nossas Notícias – E como foi a sua promoção para a patente de 3° Sargento?  Sargento Liebl – Então, falando em esforço, foi esforço que tive que fazer já aos 40 anos de idade, pois em virtude de mudanças da lei se eu não tivesse  uma graduação não seria mais promovido. Então em 2010 iniciei e em 2014 fui Diplomado Bacharel em Administração e agora no final de carreira concluí minha Pós-graduação em Atendimento de Emergência Pré-hospitalar.
Continua depois do anúncio
Nossas Notícias – Quais seus planos daqui para frente? Sargento Liebl – Gosto de ler e fazer cursos. Pretendo sempre estar me atualizando, quemu sabe mais uma graduação. Ao longo desses anos aprendi também que a única coisa que  não nos tiram é o conhecimento. Também acredito ter adquirido uma boa bagagem de conhecimento na área de socorro. As oportunidades aparecem, quem sabe trabalhar na área como professor, instrutor, palestrante ou mesmo em algum órgão governamental ou privado. O importante é não parar! Nossas Notícias – Para encerrarmos, a quem você agradece por tudo o que viveu até aqui? Sargento Liebl – Primeiramente a Deus, minha família, a Instituição Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina e aos amigos. Principais cursos e funções realizados por Claudinei Liebl:
  • Curso de Formação de Soldado 2.0 (combatente) CBMSC 1995
  •  Estágio para Adaptação de Bombeiros de Aeródromo Joinville-SC 1996
  •  Atendimento Pré-Hospitalar CBMSC 1997
  •  Emergestista Pré Hospitalar 1- Senasp 2008
  • Emergentista Pré Hospitalar 2- Senasp 2009
  •  Atualização em Primeiros Socorros com Ênfase Emergências Médicas Neuro pediátricas e RCP Adulto e Mediático-SBS 2008
  •  Condutor de Veículos de Emergência -2001 atualização 2019
  • Resgate Veicular 2006
  • Combate a Incêndio Florestal CBMSC 2010
  • Atualização em Combate a Incêndio Confinado 2014
  •  Credenciamento Instrutor de Brigadista CBMSC 2014
  • Certificação em Capacitação em Defesa Civil ABELINE-2020
  •  Promovido a CABO EM 214
  •  Bacharel em Administração UNOPAR 2010-2014
  • Promovido a 3º Sargento em 2016
  •  Pós-Graduando em Atendimento Pré-Hospitalar -FUTURA 2020
Funções:
  • B3-Palestrantee instrutor Pelotão Bombeiro Militar de Rio Negrinho
  • Instrutor do Curso de formação de Bombeiros Comunitários RN￾SC
  • SAT-Seção de atividades Técnicas PBM-RN
  • B4- Compras PBM-RN
  • B1- Departamento Pessoal PBM-RN
  • Chefe do Socorro (comandante da Guarnição)
Anúncios
   ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram