Nossas Noticias

Apresentações gratuitas de Chorinho serão realizadas para crianças de Rio Negrinho, São Bento do sul e Campo Alegre

REGIÃO. O Sarauzinho# está chegando ao Planalto Norte catarinense. O projeto que desde 2014 leva o chorinho brasileiro às crianças de ensino fundamental das escolas de Joinville e região foi ampliado para atingir crianças a partir de seis anos e será apresentado no próximo dia 10 de março, para os alunos da EMEB Maria José Duarte Silva Bernardes, em Campo Alegre;  dia 26 de maio em Rio Negrinho, na escola EEB Profª Marta Tavares e dia 28 de abril em São Bento do Sul, na escola  EBM Dalmir Pedro Cubas. Cada escola recebe dois espetáculos gratuitos (de manhã e à tarde) realizados pelo governo do Estado de Santa Catarina, por meio da Fundação Catarinense de Cultura, com recursos do Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura/Artes – edição 2019. A produção é da Sarau# Produções e da Agência Cultural AqueleTrio, com o apoio da Mídia Quatro Filmes, Univille e C.E.M. – Centro de Estudos Musicais. A circulação do Sarauzinho# em 2020 conta com 16 apresentações pré-agendadas, durante oito meses, em escolas em escolas públicas de oito municípios do Norte e Alto Vale catarinense: Campo Alegre, São Bento do Sul, Rio Negrinho, Barra do Sul, Massaranduba, Pomerode, Schroeder e Guaramirim.
continua depois do anúncio
  O Sarauzinho# (como também é chamado o Sarau# nas Escolas) leva o chorinho brasileiro a crianças entre 6 e 10 anos de idade, de escolas públicas e privadas, contribuindo para que elas conheçam e apreciem a música instrumental brasileira de qualidade. Desde 2014, quando foi iniciado, o projeto já chegou a mais de seis mil estudantes, a maior parte de escolas da rede pública. As apresentações são ao vivo, realizadas de forma lúdica pelo Sarau# Trio, grupo composto pelos músicos Cláudio Moraes (sax/flauta), Marisa Toledo (piano) e Rafael Vieira (bateria e percussão), de Joinville, e que tem como foco o incentivo às iniciativas musicais autênticas nas reinterpretações da música brasileira. Conta com roteiro, direção cênica e atuação de Ângela Finardi, e a presença de Joaquim, um boneco de espuma criado por Muriel Szym. Cadeirante e espirituoso, Joaquim interage com a criançada e, brincando, contribui para o protagonismo da pessoa com deficiência em diversos setores da sociedade, e para a inclusão social. Todo o grupo conta com figurinos exclusivos de Caren Negrelli.
continua depois do anúncio
No repertório estão músicas de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Hamilton de Holanda, entre outros compositores. Com isso, os alunos poderão conhecer um pouco mais do Choro, um estilo instrumental que surgiu no Brasil no século 19 e se caracteriza pela execução extremamente elaborada. O Choro é considerado Patrimônio Cultural Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).
Confira a programação: Sarauzinho# 2020 – Circulação
  • 10 de março – Campo Alegre – EMEB Maria José Duarte Silva Bernardes
  • 28 de abril – São Bento do Sul – EBM Dalmir Pedro Cubas
  • 26 de maio – Rio Negrinho – EEB Profª Marta Tavares
  • 23 de junho – Barra do Sul – EM Manoel Henrique Borges
  • 07 de julho – Massaranduba – EMEF Profª Araci Duarte
  • 18 de agosto – Pomerode – EEBM Prof. Curt Brandes
  • 22 de setembro – Schroeder – EM Prof. Santos Tomaselli
  • 20 de outubro – Guaramirim – EEF Almirante Tamandaré
continua depois do anúncio
Confira o vídeo da primeira edição: Observação: apresentações gratuitas, pré-agendadas, dirigidas aos alunos destas escolas. Os músicos e participantes: Cláudio Moraes – flauta transversa e saxofones Saxofonista diplomado pela Escola de Jazz de Montreux (Suíça). Participou da Tem Tutano Banda de Rua, grupo Maraca, grupo Pé de Crioula e AqueleTrio. Formou e integrou o grupo Chá de Cevada no projeto Hora do Choro. Foi músico integrante e coordenador artístico da Joinville Jazz Big Band. Participou de CDs de Ana Paula da Silva, Sergio Coelho, Thales Nunes, Fevereiro da Silva, Os Depira, Duo Backer, Ricardo Capraro, Gandhi Martinez (incluindo DVD). Integrou a banda de Dentinho Arueira na gravação do DVD Seu Brasilino e com turnê de mesmo nome. Músico idealizador do Sarau# Trio, com destaque aos projetos Acústico no Museu, Sarau nas Escolas, shows em Santa Catarina e a produção e circulação em SC do EP Sarau# em 2017. Compositor da trilha sonora e instrumentista do curta Uma Escada para João e revisor musical do Songbook Crioula. Em 2018 destaca os projetos Som na Calçada, Sarauzinho# – A História do Chorinho para Crianças, e a participação na gravação do CD da Banda TerrAvista. Bacharel em Saxofone pela UNIVALI/Itajaí e responsável pela Sarau# Produções.
continua depois do anúncio
Marisa Toledo – piano Pianista formada pelo Conservatório de Música Profa Vany Knoll, graduada em Pedagogia pela ACE, especializada em Música Popular Brasileira pela FAP/PR. Foi pianista da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil e pianista e vocalista do AqueleTrio. Participou do CD Contos em Cantos (Ana Paula da Silva/Humberto Soares), Acústico 89, Sonoridades Doces Para Sensibilidades Tranquilas (Compassolivre) e EP Sarau#.
continua depois do anúncio
Musicista, transcritora de partituras e agente cultural desde 2008, em projetos culturais com incentivo fiscal municipal, estadual e federal. Produtora e pianista do Sarau# Trio, dirigente da Agência Cultural AqueleTrio, especializada em consultoria e gestão de projetos culturais. Rafael Vieira – bateria e percussão Bacharel em Bateria e Percussão pela Univali/Itajaí; técnico pelo Conservatório de Música Popular de Itajaí. Participante em workshops com Edu Ribeiro, Kiko Freitas, Marcio Bahia, Pascoal Meirelles, Jacques Figueras, Dinho Gonçalves, Sergio Carvalho, Rafael dos Santos. Professor de bateria, integrante do Sarau# Trio, Joinville Jazz Big Band, Quinteto Enraizados, Forróbodó Joinville e terrAvista. Integrou o grupo de Percussão de Itajaí, Os Depira, Banda Dona Chica e foi músico de apoio do guitarrista Celso Blues Boy. Atuante em estúdios de gravação.
continua depois do anúncio
Já realizou turnês em SC, RS, PR, RJ, SP e pela Argentina. Produziu a gravação de um DVD com videoaulas sobre microfonação de bateria e atuou na gravação do EP Sarau# como músico e mixagem. Responsável pela Marcial Records. Angela Finardi ‐ roteiro, direção e atuação É contadora de histórias, atriz, diretora teatral e preparadora corporal e vocal de performers. Possui Mestrado em Teatro na Universidade do Estado de Santa Catarina (2014). Coordena o Programa Institucional de Artes Cênicas da Universidade da Região de Joinville -UNIVILLE e o Projeto Palhaçoterapia na mesma instituição. É atriz e produtora da Metamorfose Cia Cênica. Contabiliza na sua experiência artística ao longo de 25 anos, mais de cinquenta espetáculos, nos quais atou, produziu e/ou dirigiu.
continua depois do anúncio
Destacam-se em sua carreira o espetáculo Infantil Piuí – Um trenzinho Imaginário e O Segredo do Curumim, cuja direção e atuação foram premiadas no Festival Catarinense de Teatro de 1996 e 1997 respectivamente. Obteve premiação de melhor atriz em S.O.S – Uma Mulhes Só, ao lado de Sabrina Lermen, no FENATA, em 2008. Participou como contadora de histórias das Mostras Didáticas da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, em várias apresentações pelo Brasil (2003, 2004, 2005). Seus mais recentes trabalhos artísticos são: Sarau nas Escolas, junto ao Sarau# Trio – direção e atuação; A Princesa Margarida: um musical brincante, atuação e direção conjunta com Augusto Pessôa (2018 – ), Leitura dramática da peça Os Sujos, de Gregory Haertel, com direção de Pepe Sedrez, O Gran Circo Popular Alegria, texto de Augusto Pessôa com direção de Rubens Lima Júnior (2014- 2017) – atriz; Convite ao Delírio – coletânea de textos de Eduardo Galeano e O Doente Imagináro, de Molière, com a Cia de Teatro da Univille – direção (2016, 2017, 2018); direção conjunta com Silvestre Ferreira de O Enigma de Cid, texto de Guto Greca, com a Cia de Teatro da Univille (2015); direção de Bartolomeu em Tempo de Voo, com textos de Bartolomeu Campos Queirós, junto à Cia de Teatro da Univille (2014-2015), direção de Clotilde com Brisa, Ventania e Cerração – espetáculo infantil com o Coletivo (Arte) de Cá (2015 ); e atuação no espetáculo À Luz de Velas, do Grupo Compassolivre, com direção de Claudia Maiole (2013, 2014 e 2015). É autora do livro A importância do Centro de Energia de Base na preparação vocal do performer, publicado pela NEA – Novas edições Acadêmicas (2015).
anúncios
]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram