Nossas Noticias

Seu Arnaldo e dona Filomena comemoram 60 anos de casamento nesta quinta-feira

RIO NEGRINHO. 28 de novembro é uma data especial para dona Filomena Schiffler das Neves e seu Arnaldo das Neves. Para se ter uma ideia, eles comemoram esse dia com justa emoção há exatas 60 “primaveras”. Ou seja, há mais de meio século! Isso porque foi nesse dia que em 1959, depois de três anos, eles entraram na igreja jurando amor na saúde e na doença e na alegria e na tristeza. E não é que tem sido exatamente assim em todo esse tempo? Nessa semana nossa reportagem visitou o casal  e conferiu um pouco sobre essa história de um amor cada vez mais raro hoje em dia, em que um casamento que dura 10 ou 20 anos já é considerado longínquo.

Continua depois do anúncio 
Sobre esse que hoje é considerado um “feito”, dona Filomena e seu Arnaldo falaram que é resultado de uma série de fatores. “Na nossa época a gente casava e honrava o casamento. Ninguém pensava em casar e separar depois. Casamento era para sempre”, comentaram. Questionados sobre se depois de ver que o divórcio se tornou algo normal e aceito pela sociedade algum deles chegou um dia a “pedir um tempo” ou mesmo pensado em desistir, eles responderam categoricamente. “Nunca pensamos em desistir! Ninguém nunca falou isso para o outro nesses 60 anos, de forma alguma. O que conversamos às vezes é como vai ser quando um de nós falecer. Como que o outro vai viver, né? Mas sabemos que quem de nós ficar vai ter que aguentar”.
Continua depois do anúncio 
Em 60 anos de história, naturalmente, foram muitos os desafios enfrentados pelo casal. Todos obrigatoriamente superados de uma forma ou outra.
Na foto, o casal com os seis filhos
Filomena e Arnaldo tem seis filhos: Eraldino, Valdecir, Marcos, Ivonete, Rejane e Genésio. Claro que hoje a família aumentou e eles já tem 12 netos e 5 bisnetos. Mas naquela época até  que os filhos começassem a trabalhar, somente seu Arnaldo trabalhava. E esses foram tempos difíceis, conforme eles. Mas, sobretudo, foram épicas em que cada pequena conquista era considerada como única. “Só ele trabalhava. Pegava aquele pagamento, pouco, não era fácil… Uma vez nossa filha Ivonete viu uma boneca no bar do Kohler , no centro. Ela gostou muito da boneca e pedia mas não tínhamos como comprar. Até que um dia o Arnaldo recebeu o salário, pagamos todas as contas e o único dinheiro que sobrou para o resto do mês era o que dava para comprar a boneca para ela. Ele não teve dúvida: foi lá e comprou. Foi pra gente uma grande vitória poder ter presenteado nossa filha daquele jeito. Mas só ela ganhou presente, não tínhamos dinheiro para dar para os outros cinco”, falou dona Filomena, emocionada. 
Continua depois do anúncio 
Se para eles passado traz lembranças de dias difíceis, traz também memórias de tempos memoráveis, como quando namoravam (Não! Eles não deixaram a magia do namoro morrer! Rsrs). “Quando nos conhecemos ela tinha 14 anos e eu 17. Nós conhecemos na casa dela, em Bituva. Eu era amigo do irmão dela e um dia fui lá. Daí vi que ela começou a me dar umas olhadas e olhei também”, relatou seu Arnaldo, rindo. Dona Filomena também lembra cada sensação daquela época.
Continua depois do anúncio 
“Ele passava na minha escola e jogava bilhetinhos. Eu ficava muito empolgada! A gente namorava uma vez por semana, não era como hoje, né? Ele ia lá em casa aos domingos, geralmente, pois trabalhava na roça. E a gente namorava assim: era um em cada canto do sofá. Lembro que ele vinha a cavalo e quando eu ouvia o barulho dele chegando era uma emoção muito grande!”. O casal também falou o que para eles são os segredos dessa união.  “Olha, tem que ter muita união e muita oração. Para mim, muitos problemas que acontecem hoje nas famílias existem porque as pessoas não rezam mais. Outra coisa: nunca saímos sozinhos, estamos sempre juntos e continua sendo bom, mesmo nesses 60 anos”, destacou ela. Para ele, honrar e respeitar a história da esposa e ser fiel à aliança que fizeram, foi também fundamental.
Continua depois do anúncio 
“Sempre pensei que tirei ela da casa dos pais dela e não podia tirar ela de lá pra judiar dela, pra fazer ela sofrer. Ter cuidado com o outro é um grande diferencial”, frisou seu Arnaldo. O casal vai comemorar as seis décadas de casamento no sábado (30) a tarde, durante a Festa de Vizinhos da Rua Germano Schier, no bairro Vila Nova, onde residem. “Quando casamos não imaginávamos que íamos viver para comemorar 60 anos juntos,mas sabíamos que seria para sempre. Nos sentimos realizados, muito felizes. E, principalmente, sem nenhum arrependimento de termos escolhido um ao outro”, finalizaram.
Continua depois do anúncio 
Na foto, dona Filomena e seu Arnaldo com filhos, netos,bisnetos, noras e genros 
Continua depois do anúncio 
Na foto, o casal comemorando 50 anos de casamento 
 Anúncios 
    ,]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram