Nossas Noticias

Ex prefeito Osni Schroeder diz que está confiante em reversão de condenação judicial

RIO NEGRINHO. O ex-prefeito Osni Schroeder (DEM) declarou à reportagem do Nossas Notícias no final da tarde de hoje que está confiante e tranquilo quanto a reversão de uma condenação de improbidade administrativa em primeira instância que lhe foi imputada através de decisão judicial divulgada nesta segunda-feira (26) pela Justiça Federal de Jaraguá do Sul (SC). De acordo com a decisão ele terá que devolver R$ 150 mil ao erário público e pode ter os direitos políticos suspensos  por cinco anos. O processo foi movido a partir do setor jurídico da própria prefeitura de Rio Negrinho. A iniciativa ocorreu em 2013, na gestão do então ex prefeito Alcides Grohsskopf, que apresentou denúncia ao Ministério Público indicando que Schroeder teria contratado a dupla Vitor e Leo de forma irregular para fazer um show na cidade em 2010, em virtude das comemorações do aniversário do município. Os músicos foram contratados diretamente por uma produtora e se apresentaram no Pavilhão dos Imigrantes. A irregularidade neste caso seria a de que apesar de ter recebido  investimentos públicos o produtor do evento também cobrou ingressos da população.

O QUE DIZ O EX PREFEITO 

Continua depois do anúncio
Com relação a motivação da ação , Osni se defendeu dizendo que o evento ocorreu em virtude de convênio realizado com o Ministério do Turismo para a realização do Festival Aconchego da Serra. “A prestação de contas não foi aprovada porque, segundo o mesmo Ministério, não poderia ser liberado o recurso no mês do aniversário da cidade. Mas por orientação do Ministério, foi dado um nome ao evento e o recurso foi liberado seis meses depois. Quando encaminhamos os documentos da prestação de contas do recurso, a prestação de contas não foi aprovada, sob alegação de que não poderia ter sido liberado o convênio no mês de aniversário da cidade. Por conta disso, o Ministério Público ingressou com ação de improbidade administrativa”.

“NÃO HOUVE DANO AO ERÁRIO PÚBLICO” 

Continua depois do anúncio
Osni disse também que ainda não teve conhecimento da sentença, mas reforçou que se trata de decisão de primeira instância. “Vou recorrer dessa decisão, uma vez que toda a aplicação do recurso foi realizado conforme as orientações do Ministério do Turismo. Não houve nenhum dano ao erário, não houve nenhuma irregularidade na aplicação do recurso. Esperamos e temos confiança que vamos reverter essa decisão”.
Anúncios
 ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram