Nossas Noticias

Falta de luz no Ginásio Camiseta: presidente da FME diz que medidor de luz foi alvo de vandalismo

RIO NEGRINHO. A falta de luz no Ginásio Camiseta, no bairro Industrial Norte, surpreendeu esportistas da comunidade que alugaram o espaço para se divertir na noite de sexta-feira (16). Naturalmente a situação  se tornou (com razão)  uma polêmica bastante discutida nas redes sociais, tendo chegado inclusive na Câmara de Vereadores, onde o fato foi colocado em pauta pelo vereador Pablo Ribeiro (MDB), que fez duras críticas ao ocorrido. No Facebook e nos grupos de whatsapp questionaram a falta de energia elétrica e acusaram a direção da Fundação Municipal de Esportes de não ter pago a conta de luz. Já na Câmara, o vereador Pablo contou que recebeu várias ligações de pessoas reclamando da situação.

Continua depois do anúncio
Segundo ele, essa não é a primeira situação embaraçosa envolvendo a FME e em sua fala, ele citou que já houve cancelamento de transporte não avisado para um time que ia representar a cidade em uma competição em outro município e também lembrou que um time da cidade chegou a perder uma partida intermunicipal por W.O. por falta de fornecimento de transporte gratuito por parte da Fundação. Ribeiro recebeu o apoio do vereador Abel Hack (PSB), que cogitou a possibilidade de os vereadores convocarem Maneco Alves, presidente da FME, para dar explicações sobre os fatos. “Não é possível isso! Onde já se viu crianças chorando por não poder participar de jogos e competições e o pessoas chegando pra jogar e encontrarem o ginásio sem luz?”, questionou.
Continua depois do anúncio
Observando a repercussão do fato a reportagem do Nossas Notícias entrou em contato com o presidente da Fundação, questionando as situações. Maneco Alves garantiu que a luz do ginásio não foi cortada. “Vândalos arrancaram a tampa do painel da caixa do medidor de luz. A Celesc viu e desligou a energia por questão de segurança”.  
Continua depois do anúncio
Segundo Maneco a Fundação Municipal de Esportes não foi comunicada sobre a situação. “No outro lado do ginásio fica o relógio e ninguém viu que a luz estava suspensa. A Celesc não avisou nem notificou ninguém. Fui saber só de noite quando estava trabalhando em um festival de dança em São Bento do Sul. Quando cheguei em Rio Negrinho às 23h fui ver a situação. Liguei para o plantão da Celesc e aí eles me explicaram o que tinha acontecido”. Alves garantiu também que hoje a Fundação está providenciando uma caixa nova para religar a luz além de fazer mudanças no padrão do ginásio. “Foi danificado o padrão. Agora pela manhã ele foi consertado e na tarde de hoje a Celesc vai vir fazer a ligação”. 
Anúncios
     ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram