Nossas Noticias

Como os cães aprendem?

Kelen Sbolli é adestradora profissional de cães. Proprietária da Vita Canis, atende em Curitiba (PR) e em Rio Negrinho (SC). Contatos com a colunista podem ser feitos pelo (41) 9.99972754 ou pelo zsbolli@yahoo.com.br *************************************** Neste artigo vamos abordar a forma como os cães aprendem. Compreender como um animal aprende é fundamental para mudar certos comportamentos não desejados e promover aqueles que são desejados. Desta forma podemos contribuir para o bem-estar animal e o desenvolvimento de uma relação saudável entre o humano e o seu animal. Utilizando os conhecimentos que temos sobre o mecanismo de aprendizado dos cães, podemos utilizá-los nos treinamentos dos mesmos para otimizar os comportamentos desejados. Vamos resumir bastante o processo de aprendizagem para que seja o mais didático possível. Dois tipos de aprendizagem O processo de aprendizagem pode ser de dois tipos: associativos e não associativos. Neste artigo abordaremos exclusivamente o processo não associativo. Aprendizagem não associativa Na aprendizagem não associativa o cão adquire informação do ambiente de forma passiva sem associação de estímulos. Neste tipo de aprendizagem são consideradas as características de um só tipo de estímulo. Tipos de aprendizagem não associativa Vamos considerar 4 tipos de aprendizagem não associativa: a Habituação, Socialização, a Sensibilização e a Dessensibilização.

  • Habituação
Na habituação há uma redução da resposta comportamental ao longo de um estímulo repetido continuamente. Por exemplo, se você mora em uma rua com grande movimento de carros, seu cão passará a não mais “ouvi-los”, pois acostumou-se com o barulho. É o que ocorre conosco também. Porém, se você se for com seu animal para um hotel fazenda, é possível que você não durma com o barulho dos grilos e o seu cão tenta encontrá-los durante a noite toda… Um exemplo prático é quando temos um filhote que não queremos que tenha medo de ir ao veterinário. Então, em casa simulamos os mesmos toques que o veterinário fará examinando seu abdômen, olhos, dentes, orelhas, tocando no seu corpo de forma suave e com palavras delicadas. Ele certamente estará habituado quando o veterinário for examiná-lo.
  • Socialização
A socialização do cão é o processo pelo qual você habituará o seu pet a reagir de uma forma adequada, ou seja, sem medo nem agressividade perante diferentes ambientes, pessoas, outros cachorros e outros animais. Isso vai prevenir comportamentos agressivos e medrosos no futuro. Além disso, um cachorro bem socializado é mais fácil de treinar e será aceito com mais facilidade por outras pessoas e animais e em qualquer ambiente. A socialização do cão é um processo que dura a vida toda, no entanto o período mais crítico ocorre a partir do nascimento até os 4 meses de vida. Neste período é de fundamental importância apresentar ao seu filhote, de maneira controlada e responsável, outros cães, gatos e outros animais, sempre reforçando com algo positivo a presença deles. Além de apresentar pessoas de ambos os sexos, negros e brancos, de óculos ou sem, chapéus, bonés etc. e talvez o principal, as crianças. As crianças, segundo Piaget, até aproximadamente 7 anos, ainda não tem maturidade e consciência operatória para avaliar o perigo e seus desafios ambientais. Isso pode provocar no animal um sentido de medo profundo pelas suas reações inesperadas, provocando uma reação defensiva de agressividade. Daí a importância de apresentar crianças aos filhotes caninos, mas de maneira adequada, orientando as crianças ao que pode ou não fazer. Da mesma forma, quando apresentar um outro cão ao seu filhote é importante que isto seja feito de maneira positiva, com um cão tranqüilo e em um ambiente de brincadeira. Isto o ajudará a perceber que relacionar-se é positivo e divertido.
  • Sensibilização
Um bom exemplo é acostumar seu filhote com os ruídos domésticos como secador de cabelo, aspirador de pó, liquidificador e outros eletrodomésticos que fazem muito barulho. Habituá-lo lentamente e com reforço positivo evitará que seu cão tenho medo de outros barulhos maiores no futuro como rojões ou relâmpagos.
  • Dessensibilização
Este processo de aprendizagem é frequentemente utilizado na resolução de problemas comportamentais relacionados com o medo. Quando o cão adulto já apresenta medo a determinadas situações é necessário apresentar o estímulo gradualmente em intensidades mais baixas para mais elevadas (exposição/aproximação à experiência traumática). A intensidade do estímulo deve ser reduzida o suficiente para que quando o animal seja exposto ao estímulo ele não manifeste a resposta comportamental anteriormente desenvolvida por Sensibilização negativa. É um processo complexo que envolve reforço positivo, paciência e muita compreensão. Pode levar semanas, meses ou anos. Na semana que vem No artigo da próxima semana abordaremos os processos de aprendizagem Associativos, onde consideraremos dois tipos de aprendizagem associativa: o Condicionamento Clássico e o Condicionamento Operante. ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram