Nossas Noticias

"Para ter desenvolvimento econômico tem que se fomentar um ambiente favorável de negócios"

Marcelo Fett é advogado, ex – Secretário de Desenvolvimento Econômico de Palhoça (SC), membro do programa Inov@SC e da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável, tendo dirigido vários projetos no setor de desenvolvimento através de diferentes cargos acumulados ao longo de sua carreira. O governo do futuro Ele esteve em Rio Negrinho, onde palestrou sobre “O governo do futuro”, na Câmara de Vereadores. Um pouco antes de se apresentar ao público, conversou com a reportagem do Nossas Notícias. Confira! Nossas Notícias – Qual a importância da Secretaria de Desenvolvimento Econômico no governo, seja numa prefeitura, num governo estadual e no federal? Marcelo Fett – O denvolvimento econômico sempre foi considerado a quinta roda da administração pública. De modo geral as pessoas sempre tiveram a percepção de que desenvolvimento econômico de está ligado a atração de grandes empresas e indústrias. Quando o dinheiro começou a ficar escasso nas prefeituras e governos as pessoas começam a perceber que para gerar riqueza e ter recursos disponíveis para saúde, educação, infraestrutura e outros é preciso de um lado cortar despesas e de outro aumentar receita. E essa é a função do desenvolvimento econômico. Nossas Notícias – E como as Secretarias de Desenvolvimento Econômico podem ajudar as prefeituras e demais esferas do governo a aumentar a receita?  Marcelo Fett – Justamente por conta da escassez de recursos existe uma série de ações que começam a aparecer para estimular micro, pequenas, médias e grandes empresas, inclusive para a formação de mão de obra e geração de talentos. Essa é a função do desenvolvimento econômico. Nossas Notícias – E que ações podem ser estas? Marcelo Fett – Uma coisa fundamental por parte do poder público é criar um ambiente favorável de negócios. O poder público, quando não atrapalha já faz muito. Mas se ele conseguir fazer com que as pessoas, os empreendedores, as empresas possam desenvolver seus negócios, tu começa a ter um ciclo virtuoso de crescimento econômico. Se o empreendedor tem condições de trabalhar, gerar emprego e gerar riqueza, as pessoas se estimulam a empreender e a participar deste processo produtivo. Nossas Notícias – Você diria então que ambiente favorável de negócios é uma palavra chave neste panorama? Marcelo Fett –  Sim e isso quem cria é o poder público.Por isso é preciso estar sempre discutindo e aprimorando a questão das políticas públicas de desenvolvimento econômico para que possa haver geração de emprego, renda, impostos… Isso na verdade é dignidade. Nossas Notícias – Na sua opinião, a partir da sua experiência, as Secretarias de Desenvolvimento Econômico tem que ter como prioridade atrair novas empresas? Ou devem apostar mais nas empresas locais?  Marcelo Fett – É dever do poder público apostar nas empresas locais e atrair novas empresas, o que é uma função importante. Atrair novos investimentos, difundir tecnologia, gerar demanda para os empreendedores locais. Você não tem como ter uma política de desenvolvimento econômico efetiva se não apostar no empreendedor local e na atração de novas empresas para trazer novas riquezas, difundir tecnologia, gerar demanda para outros empreendedores locais, completar elos faltantes na cadeia produtiva. Nossas Notícias – Mas hoje, em função do cenário econômico, não é tão fácil para as administrações trazerem novas empresas para seus municípios.  Marcelo Fett – Mas tem outras partes do ambiente favorável de negócios que as prefeituras podem fomentar como por exemplo: diminuir o tempo de abertura de empresas, qualificar da mão de obra, dar segurança jurídica para a abertura de novas empresas, isso também é importante. O ambiente de negócios no Brasil é tão ruim que os municípios que fazem a sua parte já estão a um passo a frente neste processo. Nossas Notícias – Na sua opinião, em virtude dos fatores que você elencou na resposta da primeira pergunta, as Secretarias de Desenvolvimento Econômico estão ganhando mais “importância”?  Marcelo Fett – Muito. Em virtude desta demanda que os governos começaram a ter para dar conta de manter as despesas com saúde, educação…Hoje a gente começa a ver que a política de desenvolvimento econômico é uma prioridade nas administrações sejam as municipais, as estaduais ou a federal. Nossas Notícias – O que você destaca na sua atuação como Secretário de Desenvolvimento Econômico de Palhoça? Marcelo Fett – Em Palhoça (SC), hoje você abre uma empresa em 30 dias. É ruim mas em Florianópolis (SC), por exemplo, esse processo pode durar dois anos. Nossas Notícias – Com base também na sua experiência e conhecimento, existe uma “receita” para as Secretarias de Desenvolvimento Econômico conseguirem atrair grandes empresas e estimular as empresas locais? Marcelo Fett – Não. Não existe uma “receita de bolo” para o desenvolvimento econômico. Trago sempre reflexões para os gestores públicos, secretários, comunidade…São questionamentos sobre: Como o governo pode ser mais ágil? Como isso pode impactar no dia a dia do cidadão? Como o governo pode economizar para investir, por exemplo, em um Fundo de Inovação? O que gera riqueza hoje no mundo hoje? Existem coisas que estão acontecendo no mundo e são fundamentais para a gestão pública porque de alguma forma isso reflete também na capacidade que as comunidades tem de gerar riqueza. Nossas Notícias – E o que você entende que gera riqueza no mundo hoje?  Marcelo Fett – Para mim, o que gera riqueza hoje no mundo é o conhecimento. Por exemplo, um iPhone. 95% da riqueza de um iPhone fica nos Estados Unidos, onde não é fabricado nenhum iPhone. Porque o que gera riqueza não é a máquina iPhone, é a inteligência que tem por trás deste aparelho. Se ele é produzido nos EUA, no Brasil ou na China não faz diferença. Para se ter uma ideia, o valor de mercado de apenas duas empresas, a Apple e a Microsoft dá o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil.  ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram