Nossas Noticias

O CÃO É O NOSSO ESPELHO – ATUALIDADES NO ADESTRAMENTO CANINO

Kelen Sbolli é adestradora profissional de cães e proprietária da Vita Canis. Atende em Curitiba (PR)  e em Rio Negrinho (SC). Escreve para o Nossas Notícias todos os domingos. Contatos com a colunista podem ser feitos pelo (41) 9.99972754ou pelo zsbolli@yahoo.com.br  *************************************** Do adestramento feito à força e com agressividade para o adestramento positivo, feito com estímulos e brincadeiras, já se passaram algumas décadas. Nosso país, ainda atrasado, apresenta alguns treinadores que utilizam a força como base de seu treinamento. Mas tudo caminha para o desenvolvimento, até mesmo no Brasil. Um novo método de adestramento chega dos USA e Europa Depois do adestramento positivo já estar consagrado no Brasil, agora começa a chegar dos USA e da Europa, um método de treinamento cuja característica é a dinâmica entre o cão e a sua rede familiar. Aprendizado pela sensação e pela emoção Neste método o cão não aprende só pelo condicionamento clássico e operante, mas aprende principalmente pela sensação e emoção. Os cães, como todos sabem, são animais de matilha, equipe ou família. Uma família é baseada em sentimentos. Os sentimentos são baseados em um desejo comum em torno do qual o grupo pode se alinhar e sincronizar. Equipe e recompensa Fazer parte de uma equipe ou família não é ter um trabalho para fazer ou trabalhar por uma recompensa. A família permite que seus membros coloquem seus corações em seu trabalho. Adestramento moderno O adestramento moderno é sobre identificar o que os cães querem e precisam e como alinhar e sincronizar o cão e o dono como uma família. Segundo Kevin Behan, um especialista norte americano em comportamento canino, a consciência de um cão deriva de sua participação em uma “vontade” mais ampla, desencadeada pela emoção e forjada pelos sentimentos. A emoção, a natureza e a sensibilidade compõem uma “inteligência em rede” a qual todos nós pertencemos, inclusive os cães. Quando observamos um cão, estamos observando sua rede emocional Desta maneira, quando observamos um cão, estamos na verdade observando a rede emocional à qual ele se encontra ligado. Seu comportamento é uma manifestação e expressão de emoções e sentimentos que ele recebe das pessoas às quais está ligado. Sendo mais objetivo ainda, os cães são um reflexo da dinâmica emocional do dono e da família. Casa com mais de um cachorro  Uma observação particular em quase 10 anos de adestramento, é que em toda casa onde há mais de um cão, terá sempre um deles mais permeável e depositário das emoções daquela família, trazendo para si as dores, as angústias e os emaranhados de emoções que seus membros não conseguem resolver ou às vezes que nem sabem racionalmente que existem. Trabalhando o comportamento e dinâmica da família também Daí a necessidade dentro de um adestramento sério, trabalhar não só os comandos e comportamento do cão, mas o comportamento e dinâmica da família ou da pessoa mais próxima a ele. Atualmente, implementamos em nossa empresa um trabalho adicional onde observamos, após uma avaliação sistêmica familiar (a isso entendemos família+cão) traços de possível ansiedade e agressividade por exemplo. Uma psicóloga trabalha a família ou dono mais próximo enquanto o adestrador trabalha o cão. Em vários atendimentos realizados os feedbacks dos clientes foram extremamente positivos. Exemplo positivo Um exemplo bem interessante foi de uma cliente que reclamava que seu cão latia incessantemente num determinado período do dia, o qual que correspondia à chegada dos seus vizinhos. Um fato relevante é que eles haviam se mudado a poucos dias para esta nova casa. Ansiedade da dona Em uma análise feita pela nossa psicóloga levantou-se a seguinte hipótese diagnóstica: a ansiedade da dona do cão aumentava à medida que se aproximava o horário da chegada dos vizinhos. Como ela queria causar uma boa primeira impressão para os vizinhos (os quais possuíam muitos gatos), ela temia que seu cão latisse em demasia e começasse uma crise na vizinhança e a desaprovassem no condomínio. Medo de ser criticada  O medo de ser criticada pelos vizinhos lhe gerava um estado ansioso. O cão sendo muito ligado a ela, conseguia fazer a leitura de sua rede de emoções relacionando o aumento da ansiedade de sua dona com a chegada dos vizinhos. Protegendo a dona Como dissemos anteriormente, o cão não possui uma habilidade racional, mas intensamente emocional. Sua percepção foi relacionar a presença dos vizinhos como algo ruim para sua dona e na tentativa de protegê-la desta ameaça ele latia intensamente para afastar “aquilo” que causava tanto transtorno emocional e energético em sua dona. Consciência da dona Uma vez que ela tomou esta consciência e trabalhou sua ansiedade e mudou o foco, o cão automaticamente parou de latir. Este é apenas um resumo de um atendimento. Várias técnicas foram utilizadas pela nossa psicóloga para diminuir a ansiedade, bem como uma psico-educação para ela e seu esposo, diminuindo o hiperfoco. Em contrapartida, o adestrador trabalhou a desenssibilização desta situação no cão para que não ficasse nenhum comportamento aprendido. Problemas acabaram Atualmente, há relatos da família que não há mais problemas neste sentido, podendo inclusive a família se ausentar de casa por várias horas sem o cão causar nenhum transtorno. Hoje em dia trabalhar problemas comportamentais dos cães apenas utilizando técnicas tradicionais, na maioria das vezes não solucionará este problema, uma vez que a família na maioria das vezes é responsável pelos sintomas do cão. Cão é uma esponja Neste caso, o cãozinho da família serve como uma esponja/sintoma das emoções da família. Esta recebendo ajuda, o cão automaticamente se beneficiará, cessando seus sintomas como latidos, medos, indisciplina, comportamentos estereotipados, etc.]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram