Nossas Noticias

Fundação Hospitalar de Rio Negrinho será homenageada na Câmara nesta segunda-feira

Neste mês dedicado ao incentivo ao aleitamento materno, a Fundação Hospitalar de Rio Negrinho tem vários motivos para comemorar. Afinal, há 18 anos a instituição conquistou o título de Hospital Amigo da Criança. Hospital de Rio Negrinho é um dos 13 de Santa Catarina a ter o Selo de Hospital Amigo da Criança Em Santa Catarina, outros 12 hospitais tem a mesma titulação, que tem o reconhecimento do Ministério da Saúde. Mais do que um selo, um compromisso diário Mais do que um título comemorativo, o selo comprova o compromisso destas instituições com um trabalho contínuo, que envolve o compromisso de todos os funcionários de todos os setores do hospital. Fiscalização períodica De acordo com o administrador da FHRN, Canisio Winkelmann, para manter o selo, o hospital é fiscalizado e inspecionado periodicamente pelo Ministério. “Hospital Amigo da Criança é um selo de qualidade conferido pelo Ministério da Saúde aos hospitais que cumprem os 10 passos para o sucesso do aleitamento materno, instituídos pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS)”, explicou.   “Antes do trabalho de incentivo à amamentação, o índice de mortalidade infantil em Rio Negrinho era maior que 30%” Conforme explicou, a busca pelo Selo começou com os esforços de duas médicas que iniciavam suas atividades na cidade no final da década de 90. “As doutoras Maria Aparecida e Marluce perceberam que existia um índice elevado de mortalidade infantil naquela época. Segundo o IBGE, o índice era de 31,8 óbitos por 1.000 nascidos vivos”. Trabalho começou a partir de iniciativa das médicas Maria Aparecida Winnikes Pereira e Marluce Melo Este dado, segundo as próprias médicas, era devido ao fato de que o aleitamento materno não era priorizado. “Era comum as mães inserirem fórmulas (leite industrializado) precocemente. Nós verificamos também que o número de internações infantis com histórico de desnutrição e diarréia era alto. Além disso, o pré natal era carente de informações e não havia o acompanhamento de equipe multidisciplinar”, contaram.   Trabalho multidisciplinar e muitas ações conjuntas para mudar o quadro Para mudar este quadro, elas deram início a um trabalho multidisciplinar, realizado por profissionais da área de saúde do hospital e da Secretaria de Saúde. “Foram realizadas orientações e informações para pré parto, para o momento do parto e o pós parto. Consequentemente isso diminuiu ca ansiedade e insegurança das gestantes”, apontaram. Outras ações, como o incentivo ao aleitamento materno envolvendo as famílias das gestantes assim como os destaques para a importância da vacinação e palestras, foram realizados por várias vezes. “Até que em 1999 foi implantado o Centro Materno Infantil no Centro Integrado de Saúde (CIS), com o objetivo de realizar consultas de pré natal, pós-parto, realização da puericultura e outros”. Implantação de um Centro de Incentivo ao Aleitamento Materno Na mesma época foi implantado o Centro de Incentivo ao Aleitamento Materno (CIAM) na Fundação Hospitalar Rio Negrinho e na sequência uma soma de esforços para que a instituição recebesse o selo. “Foram muitos os profissionais que participaram de congressos e encontros sobre aleitamento materno em várias regiões do país”, destacaram. Amigas da Amamentação Desde então todo este conjunto de ações foi reforçado com o surgimento das Amigas da Amamentação, entidade formada com o objetivo de apoiar e incentivar as mães que amamentam e aquelas que desejam amamentar. Banco de Leite O Banco de Leite, outro projeto contínuo e de reconhecimento nacional, foi mais uma iniciativa que veio a reforçar o compromisso da Fundação Hospitalar com o aleitamento materno, enfatizando os resultados expressivos da amamentação, comprovando que com ela foram revertidos índices antes negativos para a qualidade de vida no município. Reconhecimento na Câmara de Vereadores em forma de Moção de Aplausos Em função desta soma de esforços, a Fundação Hospitalar de Rio Negrinho receberá na próxima segunda-feira (13), às 19h, uma Moção de Aplausos da Câmara de Vereadores de Rio Negrinho. A solenidade é aberta ao público. Saiba mais Alguns dos critérios para obter o Selo Amigo da Criança

  • Garantir às mulheres, um acompanhante de livre escolha para oferecer apoio físico e/ou emocional durante o pré-parto, parto e pós-parto, se desejarem;
  • Incentivar as mulheres a andar e a se movimentar durante o trabalho de parto, se desejarem, e a adotar posições de sua escolha durante o parto, a não ser que existam restrições médicas e isso seja explicado a mulher, adaptando condições para tal;
  • Garantir às mulheres, ambiente tranqüilo e acolhedor, com privacidade e iluminação suave;
  • Disponibilizar métodos não farmacológicos de alívio da dor, tais como, banheira ou chuveiro, massageadores/massagens, bola de pilates (bola de trabalho de parto), compressas quentes e frias, técnicas que devem ser de conhecimento da parturiente, informações essas, orientadas à mulher durante o pré-natal.
Dez passos para obter sucesso no aleitamento materno 1 – Ter uma política de aleitamento materno escrita que seja rotineiramente transmitida a toda equipe de cuidados de saúde; 2 – Capacitar toda a equipe de cuidados de saúde nas práticas necessárias para implementar esta política; 3 – Informar todas as gestantes sobre os benefícios e o manejo do aleitamento materno; 4 – Ajudar as mães a iniciar o aleitamento materno na primeira meia hora após o nascimento; conforme nova interpretação: colocar os bebês em contato pele a pele com suas mães, imediatamente após o parto, por pelo menos uma hora e orientar a mãe a identificar se o bebê mostra sinais de que está querendo ser amamentado, oferecendo ajuda se necessário; 5 – Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação mesmo se vierem a ser separadas dos filhos; 6 – Não oferecer a recém-nascidos bebida ou alimento que não seja o leite materno, a não ser que haja indicação médica e/ou de nutricionista; 7 – Praticar o alojamento conjunto – permitir que mães e recém-nascidos permaneçam juntos – 24 horas por dia; 8 – Incentivar o aleitamento materno sob livre demanda; 9 – Não oferecer bicos artificiais ou chupetas a recém-nascidos e lactentes; 10 – Promover a formação de grupos de apoio à amamentação e encaminhar as mães a grupos ou outros serviços de apoio à amamentação, após a alta, e estimular a formação e a colaboração com esses grupos ou serviços.]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram