Nossas Noticias

Autoconhecimento: um caminho importante para um relacionamento funcional

Lincol Pedro Drosdek é psicologo, com especialização em orientação de  jovens e aconselhamento familiar. Escreve quinzenalmente para o Nossas Notícias. Você pode encontrar em contato com o especialista clicando aqui 👉 lincolpd@yahoo.com.br *************************************** No texto passado, quando falei sobre a escolha do (a) parceiro (a) e finalizei o mesmo falando da importância de que “precisamos nos conhecer melhor, nos bastarmos e sabermos viver sozinhos” antes de entrarmos num relacionamento, para que assim possamos trilhar caminhos mais saudáveis, julguei necessário aprofundar mais o assunto: Autoconhecimento. “É comum entrarmos em um relacionamento achando que vai ser ótimo e depois…” É comum entrarmos em algum relacionamento achando ser ótimo e depois acabamos nos decepcionando ou até mesmo cometendo certos atos que fazem que nós mesmos nos perguntemos: “como pude fazer isso?” São casos claros de que não analisamos de maneira funcional o início do relacionamento e também um sinal de que talvez precisamos aprender a analisar de maneira funcional, ou seja, que seja algo saudável, que proporcione aprendizagem e evolução. “Mas como faço para conhecer melhor?” Claro que não é uma tarefa fácil e inclusive vem a dúvida: “mas como faço para conhecer melhor?” Diversos autores trazem suas opiniões sobre isto, inclusive algumas obras nos mostram “passos” de como se autoconhecer e até mesmo vemos alguns profissionais trazendo cursos rápidos e mágicos que dizem proporcionar autoconhecimento. Todavia, penso que o caminho é muito mais abrangente do que seguir certas ‘receitas certeiras”, pois cada pessoa tem sua subjetividade, sendo assim, o que é ótimo e saudável para mim, talvez não seja para o outro. Olhe para o seu passado Caminhos para o Autoconhecimento podem ser super distintos, mas um pontapé inicial para a questão já fazendo um paralelo com relacionamentos é a necessidade de um olhar para o passado. Não para remoer atos, fatos e contextos, mas sim, para avaliar como agimos e reagimos em certas circunstâncias-chave (brigas, discussões, combinados, etc.). “Quem você costuma escolher para ter um relacionamento?” Outra questão, já mencionada, é a análise mais profunda de quem vamos escolher para ter um relacionamento, pois é muito comum ficarmos “cegos” para certas coisas quando estamos naquela grande fase da paixão, tolerando algumas coisas que fogem dos nossos valores e que provavelmente no futuro não iremos tolerar. “É comum ficarmos ‘cegos’ na fase da paixão tolerando coisas que fogem dos nossos valores” Muitas outras coisas poderiam ser citadas aqui, mas procurei focar nas duas mais comuns. Procure um psicólogo Para um aprofundamento maior do autoconhecimento, a busca por um psicólogo é de suma importância. Este profissional irá desenvolver um trabalho específico para as suas demandas e poderá auxiliar você a analisar melhor suas escolhas, valorizar e ressaltar ainda mais as suas qualidades e valores, e claro, orientá-lo de maneira funcional nesse processo tão rico que é o do Autoconhecimento.]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram