Nossas Noticias

"Não aceitamos perder direitos já conquistados"

Trabalhadores da indústria da construção civil e do mobiliário de Rio Negrinho reuniram-se em assembleia do Siticom para discutir as cláusulas apresentadas pelo Sindicom (patronal) na convenção coletiva de trabalho deste ano. Durante o encontro, que aconteceu na noite de sexta-feira, o presidente do sindicato, Luiz Carlos Schukosky, elencou as cláusulas apresentadas pelos empresários sobre as quais a diretoria do Siticom não concordou negociar. Propostas inegociáveis Segundo ele, as propostas que são inegociáveis, são: redução  do pagamento de horas extras, de 100% para 50%; dias 25 de dezembro e 1 de janeiro considerados como férias e reajuste salarial de 2%, com menos de 0.4% de aumento real. “Ninguém quer perder direitos” Schukosky destacou que a realização da assembléia teve o objetivo de apurar a opinião dos trabalhadores sobre as propostas. “A gente já sabia disso. Ninguém quer perder direitos quando a proposta da negociação é obter benefícios”, falou. Reunião com patrões nesta quinta-feira Continua depois do anúncio Ele anunciou que nesta quinta-feira (14) a comissão de negociação do Siticom reúne-se com a comissão de negociação do Sindicom. “Contra nossa vontade aceitamos os 2% de aumento (INPC +aumento real) mas as demais cláusulas não”. Dissídio O presidente não desconsiderou que a convencão acabe em dissídio. “O prazo de acordo era até 31 de maio. Pedimos a prorrogação até 30 de junho mas nada impede que possamos antes deste prazo decretar o dissídio”. “Decisões não foram só minhas ou do Luiz” Altavir Santos, vice-presidente do Siticom, enfatizou que a participação dos cerca de 80 trabalhadores na reunião foi de fundamental importância. “Isso mostra que as decisões não foram só minhas ou só do Luiz. Foram da classe”. Trabalhadores vem sofrendo com várias perdas Santos frisou que a classe trabalhadora vem sofrendo várias perdas como com relação a reforma trabalhista. “E os sindicatos também, tendo em vista que a maioria das empresas boicotou o sindicato na cobrança da contribuição sindical”. “Quem não veio, perdeu de conhecer mais sobre o trabalho do sindicato” Ele finalizou reforçando que o Siticom tem uma história de luta em favor dos trabalhadores. ” E continuamos sempre buscando benefícios, garantimga direitos. Só lamentamos pelos trabalhadores que não estiveram aqui pois perderam de conhecer mais sobre o trabalho que realizamos”.    ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram