Nossas Noticias

Manifestantes do trevo do Lençol doarão sobras de doações para instituições de Rio Negrinho

“Vamos doar o que sobrou para instituições de caridade de Rio Negrinho”. Esta é a garantia de Valderi, mais conhecido por “Bala”, um dos organizadores da manifestação dos caminhoneiros no Trevo do Lençol, que fica na divisa entre Rio Negrinho e São Bento do Sul. Segundo Bala, os organizadores do movimento ainda auxiliam manifestantes no trevo. “Estamos mantendo o local limpo. Não somos baderneiros nem vagabundos como muitos falaram. Vai ficar tudo limpo assim que todos saírem”. Bala destacou que tudo o que restou das doações que a comunidade fez para os manifestantes será doado para instituições de caridade de Rio Negrinho.”Uma delas é a APAE. E peço o apoio no acompanhamento e divulgação destas doações por parte de toda a imprensa que nos acompanhou nestes dias, como foi o caso também da Rádio Energia FM”. “Se tiver outra manifestação, vamos entrar novamente” Apesar do fim da manifestação no local, Bala frisou que os manifestantes ficarão atentos. “Se  tiver outra manifestação e o povo contribuir vamos entrar nessa luta de novo. Mas para ganhar desta vez”. Ele não descartou o tom de descontentamento político que motivou a manifestação. “Todos sofremos com as decisões do governo. Porque não sou só eu que sofro, não é só você que sofre. Esta luta tem que ser por nossos filhos e netos também”. Agradecimentos O caminhoneiro também agradeceu os rio-negrinhenses que ajudaram os manifestantes durante a mobilização. “O povo levou alimentos, roupas,…. E ainda a adesão de muitos caminhoneiros e do pessoal das transportadoras”. “Não vamos dizer que infelizmente acabou porque não acabou esta luta. Temos que tirar o governo de lá” Bala contou ainda que na reunião que aconteceu semana passada com os comandantes da PM em São Bento do Sul ficou acertado que os manifestantes deixariam o combustível passar para o povo. “Não teria como ser diferente pois não ficamos contra o povo. A gente só deu uma segurada nas passagens  para o governo sentir a força do caminhoneiro no país, para ele entender que conseguimos parar o país e mostrar que juntos conseguimos tirar este governo”. Para pensar Por fim, o caminhoneiro disse que as próximas decisões ficam por conta do povo. “Agora fica na mão do povo brasileiro decidir se fica na mão do governo pagando alto pelo combustível, pagando impostos altos e vendo o governo investir em coisas que não são para nós, o povo. Nós, brasileiros, não somos beneficiados em nada pelo governo. O governo só nos usa como mula para eles, para a gente trabalhar para o governo quando é o governo que devia trabalhar para nós. Pensem sobre isso”.  ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram