Nossas Noticias

Por quê as pessoas escolhem seus parceiros? Por quê você foi escolhido (a)?

Lincol Pedro Drosdek é psicologo, com especialização em orientação de  jovens e aconselhamento familiar. Escreve quinzenalmente para o Nossas Notícias. Você pode encontrar em contato com o especialista clicando aqui 👉 lincolpd@yahoo.com.br *************************************** Você já parou pra pensar nos motivos que levam as pessoas a escolherem seus parceiros? Acredito que sim, afinal de contas você já deve ter feito alguma escolha assim e sabe que precisam ser motivos muito claros e avaliados para escolher ter alguém do seu lado. Todavia, é nesse ponto que às vezes podemos tropeçar, por justamente não prestarmos atenção em 2 palavras: Escolha e Avaliação. Acompanhe meu exemplo: Quando desejo comprar algo e faço isso às pressas, abro margem para não ter tanta qualidade na minha escolha, pois não avaliei outras opções, não fui à fundo para compreender melhor este produto que estou comprando, não sei como é garantia do mesmo, etc. O mesmo se aplica para um relacionamento, mas numa escala muito maior. Ao escolher com quem iremos nos relacionar, devemos levar em conta várias coisas, como comportamentos, atitudes, valores, planos, projetos, sonhos e toda gama de qualidades que consideramos importantes para um bom relacionamento. A avaliação do (a) parceiro (a) vai muito além Todavia, a avaliação não para por aí. É de suma importância lembrar que esta pessoa tem uma família e que ao adentrar no relacionamento precisamos levar em conta esta questão. É claro que você irá me dizer que o namoro/casamento é entre as duas pessoas e ponto final, entretanto, é necessário ter um olhar sistêmico nesse caso, compreendendo que de alguma forma uma coisa interferirá na outra mais cedo ou mais tarde, de forma negativa ou positiva e aí pode ser tarde demais. Portanto, as famílias de origem devem sempre ser consideradas nesse contexto. Dá para mudar o (a) parceiro (a) depois que casar com ele (a)? Além do mais, quando estamos nesse processo de escolha ouço algumas pessoas dizendo: “Quando começarmos a namorar ou quando casarmos eu mudo ele(a).” Como se num toque de mágica tivéssemos o poder de mudar alguém a partir do momento que “oficializamos” o relacionamento. Grande convite à frustração! Não dá para esquecer dos bons e velhos combinados, dos tratos e contratos antes de oficializar a relação, pois como diz o ditado: “O combinado não sai caro”. Calma, dá para encontrar alguém, sim!  À esta altura do texto você deve estar pensando que se fizer todas estas avaliações não encontrará ninguém. Calma! O relacionamento é um processo de construção, um bom vinho a ser degustado, para compreender todas as suas minúcias. Quando encontrar alguém que queira ter seu lado Por isso, quando encontrar alguém que queira ter ao seu lado (ou caso já tenha escolhido) observe todos os pontos, e se existe algo que não está em conformidade, não deixe de conversar com a pessoa a respeito.

  • Diálogo maduro, olho no olho (sem discussões por WhatsApp), e um bom limite no orgulho, compreendendo atos, fatos e contextos, respeitando-se mutuamente.
  • Caso isso não aconteça, tome cuidado na avaliação de quem você está escolhendo ter ao seu lado.
Agora principal dica Finalizando, a principal dica que deixo é que antes de escolhermos uma pessoa para ter do nosso lado, precisamos nos conhecer melhor, nos bastarmos e sabermos viver sozinhos. Quando aprendemos a lidar com nós mesmos e nossos desafios, desenvolvemos uma consciência mais ampla do mundo que nos cerca e ficamos mais “afiados” para fazermos nossas escolhas, inclusive da pessoa que escolhemos para um relacionamento.  ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram