Nossas Noticias

"Só nestes dois dias fomos procurados por várias vítimas"

Na tarde de hoje o cruzamento das ruas Jorge Zipperer e Carlos Weber foi palco de uma grande manifestação realizada por integrantes do CREAS (Conselho de Referência em Assistência Social), Sest Senat, Poder Judiciário, Escola Jorge Zipperer, Câmara de Vereadores, Conselho Tutelar e outras entidades, que distribuíram panfletos e brindes e ergueram com orgulho dezenas de  vezes uma faixa que convoca toda a população a proteger crianças e adolescentes do abuso sexual. Dia Nacional contra o Abuso Sexual e Exploração de Crianças e Adolescentes A ação finalizou o segundo dia de mobilização em função ao 18 de maio, data em que o Brasil inteiro se mobilizará contra os crimes sexuais cometidos por menores. Ontem a campanha foi direcionada aos jovens, com a apresentação da peça “Canção para não ninar”, da Cia. Nós em Cena, na Sociedade Musical. O evento reuniu 700 alunos da Escola Manuel da Nóbrega. “Só nestes dois dias já fomos procurados por várias vítimas” , Cláudia Mara, educadora social do CREAS A educadora social do CREAS, Cláudia Mara, avaliou o resultado da ação como além das expectativas. “Nosso material de divulgação simplesmente esgotou. A comunidade abraçou esta ideia”. Outras ações ocorrerão durante o ano Cláudia enfatizou que o resultado da campanha foi tão positivo que motivou a equipe do CREAS a programar outras ações no decorrer do ano. “Nestes dois dias tivemos um feedback muito bom, com o surgimento de novos atendimentos. Isso é ótimo, pois significa que alcançamos nosso objetivo, que foi o de estimular denúncias das vítimas”.Nossa rede de proteção ao menor conta com profissionais preparados para atender crianças e famílias”, Claudia Mara, educadora social do CREAS Ela também lembrou que a cidade conta com uma rede de proteção ao menor. “Existe uma série de profissionais capacitados especificamente para atender este público. Por isso reforço a importância das denúncias. Ninguém precisa ter medo”. “Todo mundo precisa abrir os olhos” Dona Clarinda Stiegler foi uma das pessoas que recebeu o material da campanha. Para ela a iniciativa valeu a pena. “Achei muito bom isso. As pessoas tem que ter respeito e o respeito começa em casa. Todo mundo precisa abrir os olhos pois ninguém quer passar por uma situação tão ruim como essa”. “O abuso sexual não está so na TV. Muitas vezes está na nossa cara” Caroline Corrêa de Menezes é aluna do terceiro ano do Ensino Médio da Escola Jorge Zipperer. Durante a tarde, por diversas vezes, junto com outros colegas, ela distribuiu panfletos, conversou com pessoas da comunidade e divulgou a faixa da campanha para motoristas que aguardavam no sinaleiro central. Ela declarou que gostou de fazer parte da mobilização. “Este é um tema muito importante. O abuso sexual de crianças e adolescentes é algo que não acontece só na TV. Acontece aqui, em todo lugar. Muitas vezes está na nossa cara e é preciso fazer alguma coisa, sim”.  ]]>

Parceiros

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram